As últimas horas e os primeiros minutos

Passei as últimas horas de 2017, sentada no sofá com o notebook no colo, assistindo uma série de comédia. Antes disso limpei toda a casa, liguei para meus pais e fiquei feliz ao saber que eles não passariam dormindo. Iriam para um jantar em família. Senti uma saudade imensa. Senti ao mesmo tempo um peso e uma leveza. Eles estão comigo para o que der e vier.

Deu 00:00 h e pausei tudo. Fechei os olhos e agradeci. Lembrei das pessoas que fazem parte da minha vida. Lembrei dos momentos bons. Passei uns cinco minutos de olhos fechados agradecendo e pedindo por coisas boas. Cinco primeiros minutos de 2018 com o coração aberto para tudo. Coração este que anda meio dolorido, meio pisoteado, mas segue forte ainda.

Tive receio de passar essa data sozinha, numa casa solitária, em uma cidade desconhecida. Tive receio por causa do meu estado psicológico, mas no fim não foi tão ruim quanto eu esperava. Estava eu, com a minha própria companhia aprendendo mais coisas nessas últimas horas. Estou eu tentando me bastar.

Like what you read? Give Nany a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.