un pasito para atras

eu queria entender com bastante serenidade que você não se importa tanto assim comigo. com serenidade, porque gostaria de evitar que essa constatação doesse, assim, com essa pontada aguda meio na boca do estômago.

sim, eu sei, está tudo bem com isso. esse tipo de coisa, ou é ou não é. não há o que fazer além de reconhecer.

entender com serenidade implica, óbvio, o passo lógico subsequente, que é me afastar um pouco de você. uma simples distância de segurança, entende? nada que prejudique uma verdadeira amizade. aquela distância saudável em que um se importa com o outro ali mais ou menos o tanto que o outro se importa com oum. tcharan. o básico das relações humanas.

o bizarro é que essa diferença assim nunca me aconteceu. é meio natural o caminho da reciprocidade.. mas acho que perdi esse parâmetro com você justamente pelo fato de estarmos, desde o início da nova configuração do nosso encontro, em posições muito distantes para atribuição de significado a tudo o que aconteceu.

não é o melhor dos mundos, ok, mas não poderia ser diferente, né? o significado desse encontro pra mim é de uma singularidade ímpar e eu não sei quanto tempo vai me custar para eu me refazer e montar todo esse quebra-cabeças que se tornou a minha vida a partir dessa história.

mas se tem uma coisa que a vida me mostrou nos últimos dias é que eu preciso aprender a colocar limites no poder que o outro tem sobre mim. e eu só estou escrevendo isso para você porque você nunca vai ler isso aqui, porque eu tenho plena consciência de que na verdade o correto não é eu te pedir “olha pra mim, me escuta” e sim me colocar a mim mesma numa posição em que esse não olhar não me afete. não há nada que você devesse fazer, não há qualquer responsabilidade sua nessa posição em que eu me meti.

em síntese,
un pasito para atras por favor. 
quase ouço minha alma dizer. 
un pasito para atras. 
vou tratar de ouvir essa vozinha.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated naoditos’s story.