Ensaio sobre ela

Ela tem esse piercing no lábio e cabelo bagunçado, um jeito estranho e sorriso de criança. Gosta de indie e ama aquela banda, o Oasis; aliás, ela canta, toca violão e compõe, mas não faz parte de nenhuma banda. O que é de se esperar, porque só me apaixono por músicos.

Ela fala engraçado, umas palavras estrangeiras, mas é bem divertidinha. Ela tira umas fotos legais mas não é fotógrafa. E até que eu gosto das músicas dela, para falar a verdade.

Nós nos conhecemos muito bem, mas ela ainda é uma pessoa aleatória que eu decidi que valeria a pena escrever sobre.

Ela gosta de fast food e piadas internas, de tirar foto das meias e de si mesma, e Mário Quintana. Ela também ouve umas bandas estranhas que eu já ouvi.

Ela tem um sobrenome engraçado, nome francês, e uns cds antigos na estante, junto de uma garrafa de Heineken. Ela gosta de tequila e usa All Stars às vezes. Ela ainda usa camisa de banda e skinny preta, o que a deixa com uma cara de quem minha mãe não gostaria que eu tivesse como namorada. Mas eu não ligo, na verdade nunca liguei.

Ela é só mais uma das pessoas que eu conheci e eu estou bem com isso. Mas queria escrever sobre ela porque ela é singular e merece ter um texto só dela. Talvez ela já tenha lido esse texto porque ela mesma o escreveu, e talvez ela se sinta especial por ter feito parte da vida dela mesma, uma garota estranha que escreve sobre conhecidos.

Like what you read? Give narsie a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.