Fins

A faculdade está terminando, enfim um ciclo se fecha.

Quanta coisa mudou nesse caminho, amores se perderam entre os blocos, amizades se foram com dor e com gosto de que te ensinou o que devia te ensinar e principalmente a entender as perdas.

Mudei tanto e venho mudando tanto que nem sei mais quem era aquela menina que entrou na universidade cheia de sonhos e possibilidades, pois muitos desses sonhos aconteceram e outros estão tão longe de chegar.

Tento nessas linhas expor a alegria de quem percebeu que a universidade não foi tudo, mas foi o começo de tudo, onde me aceitei, vivenciei lutas de diversas maneiras, vivenciei conquistas que levarei em cada pedaço da minha vida.

Me aceitar foi a parte mais complicada e mais linda e apenas através da universidade eu pude me libertar, pude conhecer que o que eu sempre fui não era errado, mas outras coisas dentro de mim podiam ser e ainda são e estão sendo mudadas a cada linha que escrevo.

O ano está acabando, as sensações continuam mudando e o fim chega a cada dia.

Se em algum momento te feri, peço as mais sinceras desculpas.

A gente não sabe direito o que está fazendo e nem o quanto está afetando as pessoas ao nosso redor.

Se te fiz rir, agradeço por compartilhar esse sorriso comigo e mostrar que apesar de tudo, ainda tem partes boas em mim.

O fim vai chegando e ele vem do jeito que ele quer, só espero estar atenta pra sentir esse fim e poder renascer, pois em cada pôr-do-sol existe um novo começo e se estamos vivos é sempre possível recomeçar.

Like what you read? Give Cidadão Abstrato a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.