O mundo feminino infanto juvenil

Se você não tem filhas (no plural mesmo), provavelmente você não tem ideia do que isso pode significar na vida de um ser humano. É uma experiência única, meu amigo.

Você tem a mais vaga noção do que é uma casa com 3 mulheres? Vou te contar, não é coisa para fraco não.

Pra começar, pode colocar na conta aí que você vai inevitavelmente ter que conviver com princesas da Disney por uns belos 4 anos — para minha sorte, nenhuma das duas foi fã muito voraz dessas personagens.

Nada contra Disney e suas princesas, pessoalmente acho uma graça. Mas isso se você não tiver que sair com uma criança fantasiada de princesa pelo menos 1 vez na semana, ter 234 variedades de bonecas, acessórios de cabelo, varinhas, mochilas, copos, pratos, talheres, calcinhas e o que mais puder imaginar estampado com essas fofurinhas cor de rosa com coroas reluzentes. Vai por mim, tem uma hora que você quer matar uma princesinha dessas.

Mas até aí é moleza, o que são 4 anos de coroas de princesas comparado ao total de anos em que convivemos nesse universo feminino infanto-juvenil?Somando as idades das minhas duas, estamos falando aí de quase 20 anos de hormônios femininos em ação.

Mal você se recupera da fase das princesas, você cai na fase das estrelas de seriados, de filmes infanto-junvenis, das pseudo estrelas da música pop adolescente, e mais recentemente dos youtubers. Vou te dizer…

Você tem ideia do que é abrir a porta do armário e se deparar com uma superfície de 3 metros quadrados coberta de colagens? Tem de tudo, recortes de revista da estrela pop e seus modelitos "fashion", ilustrações produzidas in house pela proprietária do armário, posters de página dupla da banda favorita, autográfos da youtuber predileta com direito a marca de batom (isso mesmo, tá bom para você?!).

E eu não deveria estar reclamando não. Consegui que as duas se restringissem ao interior das portas do armários. Apesar de muitas reclamação, pois, segundo elas, as paredes dos quartos "imploravam" por aquelas tralhas todas.

Uma bandeira com imagem da cantora-pop-adolescente-ídola conseguiu burlar as regras, e foi parar pendurada na parede em cima da cama. Com fita dupla-face banana! (ai minha parede…)

Como se não bastassem as decorações personalizadas nos quartos — sim: temos cores, estampas, acessórios e tudo mais que "precisam combinar com meu estilo", tem ainda toda a parafernália de acessórios de papelaria e afins que vem no pacote.

Nesse momento, você abstrai e deixa a coisa rolar. Afinal, em algum momento isso tudo deve passar, nem que seja quando elas, já adultas, saírem de casa deixando os restos de posters despedaçados colados no armário com fita amarelada de velha.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Natascha Brasil’s story.