farol

Desculpe o atraso. Entre o centro da cidade e o final da ponte foram 50 minutos de chuva. Era melhor ter pegado a estrada marítima; mas não queria molhar os pés. A chuva foi realmente um bocado inesperada hoje nesse litoral. Já chego. Pelo meio do caminho havia neblina, um aviso que dizia “trago seu amor aos seus pés” e um ônibus, desses com as pontas amarelas, parado e vazio cruzando uma calçada, bem abaixo de uma passarela.

Um rapaz que carregava uma maleta escura desceu em um ponto que não era o dele — ficou no ponto da ferrovia desativada, enquanto, para ele, era necessário o ponto do tempo das rodovias. Continua chovendo bastante, é verdade. Mas os carros correm melhor por essa nova cidade e talvez eu chegue à tempo pra você. O clima é maluco aqui, assim como a disposição dos automóveis nesse lugar abaixo do trópico das bandas do sul da terra (que se distanciam dos cardumes e de sua sensível e bastante habitual disposição nos mares do sul e do norte). Já chego aí,