O que você aprende morando sozinha

Deixar de sair porque você tem que “dar uma ordem na casa” não é desculpinha: Eu perdi as vezes de quanto julguei minha mãe por deixar de viajar ou de sair porque tinha que arrumar a casa. E nunca me arrependi tanto. Não, kirida, não é uma desculpa, é uma necessidade. Para pessoas preguiçosas como eu, tem uma hora que fica insustentável caminhar pelo solo pós-apocalíptico que virou o seu lar e você tem que deixar de fazer alguma coisa legal para fazer essa coisa chatissima, pelo único motivo puramente físico de um mesmo corpo não ocupar dois espaços (ainda, infelizmente).

A sujeira é muito mais rápida que você: Isso ocorre de duas formas 1. NATURALMENTE: Você limpa e uma semana depois já tá tudo porco de novo 2. SACANAMENTE: Você varre, varre, varre, passa pano, pega a sujeira COM A MÃO e bota no cacete do lixo, e quando menos espera, tem um bolo de cabelo rolando pelo chão.

Sua mãe está pensando em você: Eu me mudei há 9 meses e minha mãe ainda manda mensagem quando vai ao supermercado, perguntando se eu quero alguma coisa. Manda foto da novela. Pergunta o que eu comi e se eu já cheguei. ❤

Dormir numa casa sozinha não é tão aterrorizante: Quem me conhece sabe que eu tenho medo de fantasmas desde que eu me conheço por gente. Eu não é um medinho, é pânico. Quando morava em São Bernardo, com a minha família, eu nunca ficava sozinha em casa. Hoje meu fiii, vish, já domino a porra toda.

Ir ao mercado é o pior dia do mês: Porque você gasta dinheiro e é um saco.

Potes de margarina e requeijão ganham novos significados: Me descobri com a mania de não jogar nenhum desses potes fora. Resultado? Eu os utilizo para praticamente tudo: misturar creme do cabelo, fazer a unha, jogar coisas melequentas fora, trazer fruta para o trabalho, colocar grãos….. (um pote para cada coisa sempre — quase sempre)

Suas configurações sobre nojinho também foram atualizadas: Lixinho da pia, bolo de cabelo dentro do ralo, comida podre na geladeira, meia suja que você esqueceu debaixo da cama… Tudo isso já é fichinha pra você.

Seus hábitos não precisam ser iguais aos da sua família (aliás, nem vão): Muita coisa mudou desde que eu sai da casa dos meus pais, desde o modo como eu organizo minha geladeira, até o fato de não passar roupa, ou de simplesmente não ter açúcar ou frios em casa, porque não fazem falta no meu dia-a-dia. Minha TV é de tubo e só pega Record e Globo e nem é ligada com frequência. Não tenho guarda-roupa. Deixo a janela aberta. Não uso toalha de mesa.

É a melhor coisa que você já fez na sua vida.