Sobre um projeto de escritora que cursa economia.

Eu sempre gostei das letras. Sempre gostei de como a união delas formavam sons e os sons se tornavam palavras e eu sempre gostei de palavras. Elas tentam retirar de mim a retenção na minha garganta, mas hoje elas me confundem, se abstraem na minha cabeça e não fazem sentido.

Elas tem tomado o meu tempo e cortado minha criatividade. Elas tem gerado em mim uma insegurança e uma sensação de incapacidade e eu me pergunto, terei eu salvação? A resposta vem quando eu deixo as letras se escreverem e aliviarem em mim o nó que minha garganta não suportava. Eu ainda vejo esperanças nas letras.