eu vou desaparecer e deixar todo mundo bem confuso

aos trancos e barrancos a vida tomava uma forma que ele não queria. a vida tomava chá sem açúcar e com biscoitos e lia, sentada, um livro de filosofia. a atenção era dividida pelo manual de escoteiro do Tio Patinhas. 
entre uma tragada e outra, vários planos iam surgindo.

o de dançar.

o de se machucar.

o de ir embora.
e o mais tentador, o de sumir.

casa vazia.

pais viajando.

irmãos que não se importam e respeitam tua privacidade.

que bom.

no quarto se espalhavam pelo chão e pela escrivaninha, mesa, penteadeira, cama, livros e livros, filmes, dvds e discos, muitos, muitos discos, mais de 7mil reais orçado em discos.

a vida apertava-lhe a barriga

fazia ele rir do nada

mas chorava

quando conseguia

aquela situação do pais

aquela situação do mundo

aquela sensação de perda do tudo

da noção

do prazer

ia se esvaindo

sumindo

saindo pelos poros

atravessando paredes, cimento

atravessando coragens.

não havia nada ali

apenas os discos e livros e filmes

que flutuavam em penteadeira, cama, mesa e escrivaninha imaginária

aqueles móveis que insistiam em querer habitar ali

que insistiam em querer disputar um espaço para mágoas, tristezas e prazeres

sumiram

deu fim

não sabe como

mas deu

uma música

duas músicas

três músicas

não ouve tudo

presta aqui ó

atenção no texto que eu tô escrevendo

não ouve a música ao mesmo tempo

ouve depois, tá?
presta atenção

os pedidos nos últimos meses eram secretos

dos pais, queria uma quantia de 20mil reais

não posso falar agora

só me dê
não posso, olha para mim Bruno, olha pra ti, olha pra essa tua cara de filho folgado com 24 anos pedindo 20mil reais pra patrocinar teus projetos

tô com uns projetos aí

era a desculpa

o que tu faz?
tô com uns projetos aí

HAHAHA

resposta que resume profissão de quem só vagabunda na vida

ou de artistas em eterno bloqueio criativo

põe aqui, filho

quer se desfazer das coisas

põe o caralho dessa tua vida de merda

dessa tua insatisfação

esfrega aqui, ó

joga fora, ngm vai nem perceber

esquece, desapega dessa tua sofrência

finge que não vai doer

e vai, mano, cuuuuuida, deixa de frescura

levanta da porra dessa cama

vai procurar o que fazer

vai passear, Bruno

ish, tu tá só com 24

isso não é nada

se anima

bota uma música pra tu dançar

porra, Bruno, tu tá mais de 4 dias sem ver banho

vai te limpar caralho

tu tá fedendo a porra

mentira

eu não me masturbo

eu não consigo nem olhar meu corpo

eu não consigo nem olhar pra mim

por que eles tão enchendo meu saco?

insistindo em coisas que eu não consigo fazer

eu quero viver

mas eu não consigo

eles dizem que a caixa de mensagem deles está aberta para qualquer desabafo

eles dizem que posso conversar com algum deles quando eu precisar

mas

ninguém

se importa

sabe o que eu vou fazer?
eu vou fazer hoje

vou aproveitar que não tem ninguém em casa

eu

vou

desaparecer e deixar

todo

mundo

bem confuso

bruno, 24 anos, acreano, estudante de psicologia, sumiu. os pais não viram. os irmãos quase não notaram. ele apenas deixou os discos espalhados pelo quarto, um computador ligado, e uma playlist. músicas tristes, músicas felizes. músicas. os pais voltaram da viagem, não bateram na porta de Bruno. “onde bruno estava bruno ficou”. o sumiço só foi percebido 24h depois. o desaparecimento só foi descoberto depois que as músicas pararam de sair por debaixo da porta. mas na casa, e em lugar nenhum, nenhuma porta foi aberta para ouvi-lo quando ele precisou.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.