Como lidar com todo e qualquer problema

Imagem inspiracional generica

Para você que está prestes a ler eu gostaria de lembrar que esse texto nada mais é do que o registro das minhas opiniões. Nada mais, nada menos. Eu não sou o portador da verdade, muito menos afirmo que qualquer opinião expressa aqui seja baseada na verdade. Eu vou mentir pra você.
O motivo pelo qual faço questão de que essas sejam as primeiras palavras é que eu já não tenho mais certezas. Eu sempre fui cético, o que me afastou da religião muito cedo na vida. O problema é que ultimamente esse ceticismo foi amplificado. Eu tenho duvidado de mim, das minhas relações, do que eu sinto, do que eu acredito.

Grande parte disso é consequência de um dos acontecimentos mais significativos da minha vida. O que é exatamente é irrelevante no momento, o importante é que foi um acontecimentos que mudou tudo na minha vida, tudo. Cotidiano, sentimentos, crenças, meu círculo de amizades e a minha percepção pessoal de quem eu sou. Eu odeio mudanças. Eu desprezo elas. Eu tenho um medo irracional de mudanças. Mudanças causam desconforto, elas me obrigam a me adaptar a algo novo. Quando eu vejo a mudança no horizonte sinto meu estômago contraindo. Em resumo, eu não sei lidar com a mudança porque eu não crio ilusões de que sou uma pessoa sábia. Tenho consciência de que eu não sei viver e que a vida não tem um manual.

A minha expectativa de enfrentar as mudanças são sempre as mais pessimistas e isso é uma merda. Isso me torna uma pessoa constantemente ansiosa. Quando eu tento colocar esse sentimento em palavras sempre me vem a mente a seguinte cena: Eu completamente nu em uma trincheira da segunda guerra mundial combatendo um inimigo escondido atrás de uma neblina enquanto espero que a qualquer momento uma chuva de bombas caia na minha cabeça. Dramático né? Eu sei, mas é a melhor forma como eu consigo explicar como eu me sinto a todo momento que eu esteja minimamente auto consciente. Escrever esse texto está sendo uma tortura, porque eu estou sendo obrigado a lidar com diversas coisas que eu prefiro fingir que não existem(sem contar minha interminável luta contra a gramatica).

Eu sempre me senti assim, mas depois do grande acontecimento cataclísmico, esses sentimentos foram amplificados. Muito amplificados.

Como eu estou lidando com isso? Bem, pra falar a verdade, eu não estou. Ainda não encontrei uma forma de realmente lidar com isso. É uma daquelas questões que não tem uma solução definitiva, nada do que você fizer vai fazer você se sentir bem em relação a isso, ou você aprende a não se importar mais ou você segue vivendo ignorando a realidade e negando que exista um problema. Esse é o meu problema com textos de autoajuda, eles sempre tem aquele tom de que “ vai ficar tudo bem”, sempre dizendo como a solução é simples e você só precisa acreditar. Não! O problema não é que eu me recuso a aceitar as soluções aparentemente óbvias que os textos de blog tentam me enfiar goela abaixo. Esses textos de autoajuda são escritos por alguém que parece estar em posse do manual da vida, maquiado com palavras positivas, duras lições de vidas e frases de efeito que apelam pro meu emocional.

O problema é a vida, a vida é fodida. Não existem verdades binárias. “Bom e ruim” ou “certo e errado” . A vida parece se um degrade confuso cheio de regras com mais exceções a essas regras que uma pessoa sã pode lembrar. É impossível viver sem simplificar tudo isso em filosofias absolutas que possam guiar a sua vida de forma prática para que possamos tomar decisões no dia a dia.

No momento, eu estou completamente despido de qualquer filosofia que me permita tomar decisões sem esforço, desarmado das minhas certezas e esperando, lutando pra ser justo com todo mundo a minha volta, sem nem mesmo conseguir enxergar quem são as pessoas de verdade. A cereja no bolo é que a vida não para, e a qualquer momento um problema novo vai cair na minha cabeça.

É tentador encerrar o texto com uma frase de efeito bem emocional com a qual você possa se conectar e sentir que todos os problemas foram resolvidos. Mas a verdade é que eu não sei como resolver esses problemas, e assim como muita gente, estou procurando essas respostas abstratas pra resolver minha vida. Talvez seja 42, eu não sei. Se você encontrar o manual da vida, me manda o link do pdf.

Like what you read? Give Nathan Odinsson a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.