The Lean Startup — Ainda não leu?

Aproveitando meu último post publicado, quando falei sobre 8 livros que considero fundamentais para todo empreendedor que está começando, selecionei o livro que mais abriu minha cabeça e que me fez entender melhor como funciona o processo de empreender. O livro em questão é: The Lean Startup (ou Startup Enxuta). Tive que ler mais de uma vez para tentar absorver todas as informações preciosas que constam nesse livro. Apesar de apresentar uma nova metodologia para a gestão de startups, Eric Ries faz isso de uma forma tão simples, fácil e direta, que faz com que o livro funcione quase como um guia para os empreendedores da atualidade.

Entre cases de sucesso e histórias de ‘fracasso’, o livro transmite informações valiosas para quem deseja ter sucesso como empreendedor*, além de ensinar a metodologia e diversos conceitos e técnicas que podem ser aplicados por qualquer indíviduo.

Não posso continuar o texto antes de esclarecer o que significa ‘empreededor’ para Eric Ries. Segundo o autor do livro, empreendedor é qualquer pessoa que trabalha em uma startup.

Mas então, o que é Startup? Startup é uma instituição formada por pessoas, projetada para criar novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza.

Ou seja, empreendedores estão em todos os lugares, e a abordagem da Lean Startup funciona com empresas de todos os tamanhos, de qualquer setor, e em qualquer indústria. Este, inclusive, é o primeiro dos cinco princípios que regem a metodologia:

1. Empreendedores estão por toda a parte

Seja como colaborador em uma grande empresa, trabalhando sozinho em casa, como funcionário público, ou em uma startup, os empreendedores estão em todos os lugares. Aliás, para Eric Ries, o empreendedorismo deveria ser considerado um plano de carreira viável para inovadores que trabalham em grandes corporações, e ‘empreendedor’ deveria ser um título de cargo em todas as empresas modernas que dependem de inovação para crescer.

Os outros 4 princípios que fundamentam a metodologia Lean Startup são:

2. Empreender é administrar

Uma startup é uma instituição, e não apenas um produto. E isso exige um novo tipo de gestão, orientada para este contexto de extrema incerteza. Como sociedade, nós conhecemos diversas técnicas para administrar grandes empresas. Mas quando falamos de startups e inovação, ainda estamos dando tiro no escuro. Esses são os novos problemas, que surgiram do sucesso da administração do século XX. Agora estamos no “século II da administração”, e é nosso desafio fazer algo importante com a oportunidade que temos em mãos. O movimento da Lean Startup busca garantir que aqueles que irão construir o próximo “grande negócio” terão as ferramentas necessárias para mudar o mundo.

3. Validação de aprendizagem

Startups existem não apenas para criar coisas, fazer dinheiro, ou servir clientes. Elas existem para ensinar como construir um negócio sustentável. Esse aprendizado pode ser validado cientificamente através de experimentos que permitem que os empreendedores testem, com frequência, cada elemento de sua startup.

4. Construir-mensurar-aprender (Build-Measure-Learn)

A principal atividade de uma startup é tranformar ideias em produtos, mensurar de que forma os clientes respondem ao negócio, e depois aprender quando se deve pivotar ou persistir na ideia. Todos os processos de startups devem ser orientados para acelerar o ciclo construir-mensurar-aprender.

5. Contabilidade para inovação

Para melhorar os resultados da empresa e manter a responsabilidade e o interesse dos profissionais envolvidos, é preciso focar na parte ‘chata’ também: como mensurar progresso, como definir metas, e como priorizar trabalho. Isso requer um novo tipo de contabilidade, projetada para startups e para as pessoas envolvidas.


Entender os princípios da metodologia Lean Startup é fundamental para uma melhor absorção dos outros conceitos, que serão detalhados nos próximos posts, de forma leve e prática. Falaremos sobre a real necessidade de se construir um plano de negócios para quem está desenvolvendo a própria startup, além de conceitos como ‘MVP’, ‘métricas de vaidade’ e ‘os 5 porquês’. Até lá!


Confira meu último post “8 Livros Imprescindíveis para Empreendedores de Primeira Viagem”: aqui