Para estrear

Se por um lado, é muito comum ver por aí uma dificuldade imensa em assumir as próprias escolhas, por outro, há igualmente uma dificuldade para aceitar e acolher o que saiu do controle. Assisti esses dias o vídeo da Brene Brown no TED Talks, em que ela fala sobre o poder da vulnerabilidade. Gostei tanto desse vídeo ! Vale a pena conferir.

A escrita para mim é um processo difícil e doloroso. Ainda que gratificante, de certa forma. Sempre gostei de escrever e hoje em dia, conectada, gosto igualmente de publicar. Eu gosto, mas isso não quer dizer que publico de maneira bem resolvida e segura. Escrevo de uma maneira demorada e trabalhosa. Permaneço sentada durante horas até que surja alguma inspiração, alguma ideia. Sempre foi assim. Meus trabalhos na faculdade eram torturas — mesmo sendo muito melhores que seminários (odeio falar em público). Mas, de alguma forma, algum texto sempre sai, mesmo que eu considere um texto ruim ou mais ou menos, e é um resultado gratificante. Quando acontece de eu gostar do texto — uma coisa rara mas que tá se tornando um pouco mais comum -, é um sentimento muito bom.

Claro que a parte de publicar e expor tudo isso, é outra coisa, um obstáculo a parte. Mas acredito que faça bem. Eu e muita gente que eu conheço temos medo de publicar/expor algum texto que não esteja ideal ou perfeito. Ou qualquer criação. Nós estamos com uma certa dificuldade em lidar com as nossas próprias vulnerabilidades. As nossas expectativas estão tão altas. Ou é perfeição ou nada. Quando na verdade, você não alcança um resultado ótimo — não digo perfeito, porque isso é um mito — a não ser que treine, faça continuamente durante muito tempo, pegue o jeito daquilo.

Foi o que eu aprendi com meu projeto 365 — uma foto por dia — que fiz há uns anos, é o que estou tentando fazer nesse exato momento. Transformei o meu projeto 365 dias de fotos, que aliás, foi uma das coisas mais incríveis que fiz, nesse “projeto” de escrever um pouco todos os dias. E publicar — não todos os dias, mas quando um texto estiver pronto. Quero treinar a minha escrita, quero treinar a minha exposição. Minha relação com os meus textos estão melhores. Minha relação com as críticas também.

Meu projeto 365 acabou se tornando um álbum de fotos com registros do meu dia-a-dia. Mesmo quando eu não tinha ideia de qual foto tirar, ou quando estava doente, por exemplo, tinha que tirar um tempo para pensar e criar alguma coisa. A conclusão desse projeto foi muito gratificante e sem dúvida, me ensinou muito sobre fotografia. Mas também sobre ter paciência, persistência, foco e um pouco sobre expor minhas criações nas redes sociais.

Eu espero que o exercício de sentar e escrever um pouco por dia se transforme em um aprendizado tão rico quanto o projeto fotográfico. Mesmo com tudo de novo que anda acontecendo na minha vida, voltarei para escrever. Algumas palavras, que seja.

Foto autoral. Julho/2016.