fotos devolvidas

Querido ex-amor,

Um dia você me devolveu numa sacola todas as cartas e fotos que um dia eu tinha te dado. Doeu. Demorei alguns meses pra descobrir que fim daria àquela sacola que você deixou na minha porta num ato tão impensado e doloroso.

Joguei no lixo.

Se não interessava a você que foi merecedor de tantas palavras e amor, tampouco interessaria a mim.

Mas, como você gosta de dizer, nós dois funcionamos de um jeito diferente, e no meu mundo é impensável sumir da vida de alguém como aquela sacola de lembranças sumiu quando caiu no meu lixo.

Pensando nisso, em nome de todas as coisas que vivemos, escolhi a foto que está neste envelope, com esta carta. Tiramos poucas fotos realmente boas. Mas eu gosto dessa. Eu estava feliz, você também. Ao fundo o cara esquisito faz uma cara engraçada, de quem quer aparecer na foto do casal sorridente. Foi um dos melhores dias da minha vida. E você estava lá. Fico feliz por você ter feito parte dele.

Eu sei que é difícil pensar que nos próximos momentos alegres de nossas vidas não estaremos mais juntos, mas é tão bom saber que até ali estivemos e foi tão maravilhoso. Não te fascina também?

Escrever tudo isso está sendo difícil, mas foi um jeito que encontrei de substituir toda aquela sacola no seu armário. Ocupará menos espaço, caso você queira guardar. Talvez você não queira tê-la por perto. Eu entenderei. Mas, se for pra jogar fora, de novo, por favor, faça isso você mesmo e não me conte. Adorarei sofrer com a dúvida eterna entre ser uma boa história guardada com carinho ou um simples pedaço de papel rasgado no lixo.

Se algum dia precisar de mim, sabe onde me procurar. Seja feliz como me fez um dia.

Com carinho,

Seu ex-amor.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.