Porque “não se preocupe com dinheiro, apenas viaje” é o pior conselho de todos os tempos
Cristiani Dias
50074

Então, acho que vou fazer o papel de “advogado do diabo” aqui. Eu mesmo tenho meu blog de viagens (para quem quiser conferir: https://tenhominhaloucura.wordpress.com/), e acho que o problema das pessoas é dar conselhos. Cada um deve seguir a vida como puder a encontrar sua felicidade como quiser.

Vejo esse movimento de “largue tudo para viajar” como uma crítica não às pessoas que tem que trabalhar para sustentar a avó doente, o filho que nasceu quando ela tinha 14 anos ou que vende pipoca no sinal para comprar comida. Infelizmente essas pessoas estão à margem da sociedade e se a elas não é dado o direito de ter lazer em sua cidade (exclusão social por distância, por exemplo), quanto mais em uma viagem! E se na Europa isso é realidade para um monte de gente, aqui no Brasil é para a maioria.

O movimento do “largue tudo para viajar” é uma crítica mais àquelas pessoas que nasceram em berço de ouro (como imagino que seja a maioria que lê este blog) e por conta do meio em que vivemos acabaram cedendo à cultura do “compre para ser feliz”. Ou seja, essa cultura de “largar tudo” entra criticando as pessoas que trabalham 40 horas por semana para poderem ir ao shopping nos finais dela torrarem o dinheiro para mostrar para os outros que pertencem a uma classe social mais elevada. Então você compra um carro, um apartamento em frente à praia, uma casa nas montanhas e até um cachorro para que todos saibam o quanto você pode gastar. Ao invés disso, por que não viajar e não precisar mostrar nada para ninguém?

Mas agora retomando o que falei, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Se você é mais feliz comprando sua bolsa da Louis Vitton do que passando as férias no Himalaia, vá fundo! Se você é mais feliz passando um ano sabático na Índia do que comprando um Mercedes, vá fundo também! O importante é ser feliz =)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Nery Neto’s story.