Podcasts são foda, e ponto!

Possivelmente escrevo isso sob a motivação de alguns dos podcasts que acabo de ouvir em mais uma de minhas viagens solitárias de carro. Que na verdade, agora nem são tão mais solitárias assim.

Acho que essas viagens rodoviárias se tornaram quase que um hábito na minha vida. Primeiro, desde criança, quase que em todo feriado prolongado (ou não) meus pais preparavam o carro e íamos para Fernandópolis, cidade onde nasci.

Depois veio a faculdade, viagens a trabalho, passeios, visitas a namorada, e na maioria das vezes, de carro ou ônibus. Poderia gastar parágrafos e mais parágrafos narrando minhas aventuras rodoviárias. Mas, o que posso dizer é que eram viagens onde raramente fazia algo útil, geralmente só dormia.

E eu já sabia que 2016 seria marcado por muitas viagens, pois começaria o meu mestrado, e teria que fazer viagens semanais com duração em torno de 4 horas por trecho. Foi quando tomei minha decisão:

Essas viagens não podem ser vazias! Preciso usar esse tempo pra obter conhecimento, informação ou pelo menos me divertir.

E foi assim que resolvi ir atrás de podcasts para ouvir na viagem. Já acompanho o crescimento há alguns anos, inclusive cheguei a produzir uma pequena série de 4 episódios em 2010. E há um certo tempo, tinha recebido do pessoal do WeCast uma solicitação de avaliar o app e dar algumas sugestões. Pensei então que seria uma excelente oportunidade.

Depois de um post despretensioso no Twitter / Facebook, recebi algumas recomendações. A maioria de podcasts bem "famosos" (pelo menos pra mim) como o Nerd Cast, Café Brasil e etc. Mas claro, que curioso não parei por aí.

Saí assinando tudo que poderia me interessar, pesquisando por recomendações, baixando episódios e montando uma playlist que daria para uma viagem de ida e volta à lua, tranquilamente. É… quem me conhece sabe que é típico, me jogo e vamo que vamo!

Mas afinal, porque estou escrevendo esse post?
Porque podcasts são foda, e ponto!

Podcasts podem ser uma fonte de informação independente, fora da grande mídia, como por exemplo os episódios do Xadrez Verbal, onde pude ouvir por duas horas e meia (e nem vi o tempo passar) explicações sobre os famigerados "Panama Papers", com análises e opiniões que jamais iria encontrar em nenhum veículo "tradicional".

Me diverti com podcasts do Nerd Cast e do Ultra Geek, que apesar de falarem algumas besteiras (ou caneladas, se preferirem), abordam temas atuais e que podem ajudar muita gente, como privacidade na Internet, Internet das Coisas, Cloud Computing e por aí vai.

Também ajudam manter a fome ~empreendedora~ ao ouvir podcasts como o GV Cast, do Geração de Valor, ou o GunCast, que trazem uma visão interessante sem cair na mesmice e estrelismo dos empreendedores de palco ou "gurus" de startup que temos no cenário brasileiro de startups.

Mas, de verdade, o que me causou a vontade de compartilhar essa opinião com vocês, foi o podcast Projeto Humanos. Criado pelo Ivan Mizanzuk, do já consagrado AntiCast, que mostra "histórias íntimas de pessoas desconhecidas".

São histórias fortes, que nos fazem pensar e refletir sobre nossas vidas e ações. Histórias capazes de nos fazer pensar em amigos, lembrar de parentes e até de que, normalmente, reclamamos de barriga cheia.

Histórias simples, como a do menino no hospital que não falava há dias e se recuperava de um tratamento, mas que teve uma injeção de animo ao receber a visita de "Doutores Palhaços", mas que na verdade é o pano de fundo pra contar a história de uma pessoa que um dia resolve mudar de vida e se tornar um palhaço, para encontrar a alegria nos sorrisos de outras pessoas.

E o que mudou?

Esses podcasts trouxeram em mim, novamente, a vontade de criar e compartilhar conteúdo. De compartilhar o que já aprendi, o que estou pensando e me fez ter vontade de escrever de novo, como não fazia desde a minha adolescência.

Já inclusive comecei um podcast sobre tecnologia, o Dev & Community Cast, onde divido com o Alê Borba um podcast sobre comunidade e também o "Faaala, Neto!", onde faço monólogos comentando sobre assuntos de desenvolvimento móvel, Android e etc. E logo logo vem o Mundo Breja, sobre cerveja caseira e artesanal.

Como disse, pode ser (e provavelmente é) uma opinião "contaminada" pelos podcasts que ouvi hoje, principalmente as crônicas sobre perda, do Projeto Humanos, que comentei a pouco.

Mas se você ainda não é um consumidor de podcasts, dê essa chance a você mesmo. Escolha algum assunto que goste, ou que sempre quis se informar mais — pode ser filosofia, política, tecnologia e etc — e escute alguns episódios. Aproveite para relaxar e desfrute do momento.

Tenho certeza que você vai concordar comigo, Podcasts são foda!

Abraços e até outro dia!
=)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.