Carta de Despedida

Queridos amigos, leitores e eu mesmo.

Venho me despedir nesta carta, pois acredito que nunca mais nos veremos.

Não, eu não estou morrendo e tampouco vou me matar. Esta não é uma carta de suicídio e nem é meu intuito fazer uma paródia. Não vejo graça nisso.

Mas depois de muito pensar, percebo que preciso realizar um processo de ruptura comigo mesmo neste momento da vida. É algo que tenho adiado há tempos e continuar assim não tem mais funcionado.

Uma parte de mim precisa morrer. Tenho estado com um pé no passado e com o outro no futuro. Vivo em dois mundos paralelos e isto tem retirado todo o movimento necessário para o meu avanço.

Pior. Tenho me odiado cada vez mais por não ir adiante. Eu, que sempre me considerei desapegado, estive preso por todos estes meses em uma vida que não tem mais funcionado.

Foi cômodo dormir por mais cinco, quinze e sessenta minutos. Mas chega. É hora de acordar.

Porra! Sabe o que eu sempre quis?

Não sei se você se sente assim, mas eu queria saber até onde eu posso chegar. Eu não quero mais economizar as minhas energias. Eu quero usar tudo de mim e subit até o topo da montanha. Eu quero tentar ser FODA.

Tenho sido um hipócrita falando de propósito e sonhos. E como dói admitir isso, mas até agora eu mal tentei.

Eu tenho medo do sucesso, até mais do que do fracasso.

Porque o fracasso nós vivemos todos os dias. A gente se acostuma à mediocridade e se contenta sendo qualquer merda.

Mas o sucesso eu ainda não sei o que é. Temos medo do desconhecido. E eu não estou falando de ganhar muito dinheiro ou de ter fama. Estou falando de simplesmente tirar meus planos do papel e começar a fazer alguma coisa.

Por desconhecer a jornada, sempre achei que eu teria de lidar com monstros insuperáveis.

  • A gente muda e com isso as amizades também mudam.
  • Se esforçar significa ter menos tempo e fazer sacrifícios.
  • Refinar seus gostos significa perder a conexão com muitas pessoas.

E como alguns sabem, sempre tive problemas com solidão.

Para mim estava claro que haveria uma escolha. Se meus amigos sequer se interessam por aquilo que escrevo, o que nós teríamos em comum daqui para frente?

Então eu me toquei que eu não ligo. Que em apenas quatro meses escrevendo com empenho no Medium eu já conheci muita gente incrível. E eu sei que, daqui para frente, eu espero conhecer mais pessoas como vocês.

Meus medos não passavam de crenças limitantes e, com a morte destas crenças, eu também morri.

Somos aquilo que acreditamos e hoje eu já acredito em outras coisas. Este texto comemora a minha morte e o meu nascimento.

É um manifesto de transformação.

Daqui para frente, eu quero me arriscar. Quero colocar todas as minhas fichas na mesa para vencer.

E quem estiver lendo isto, eu espero que continue comigo, juntos, até onde o destino permitir.

Porque um sonhador precisa dos outros para continuar acreditando. Quem quiser ir longe, vai sempre acompanhado.


Manifesto 01/10/2016

Tenho sentido faz tempo que precisava definir algumas coisas. Ontem passei por um processo de Coach e tive toda a certeza do mundo que esse era o caminho.

PS: Desculpe a ausência no Medium.
PS2: Talvez eu continue ausente por mais 7 dias. Estarei terminando um projeto.