Tilt Brush — Viu essa da Google?

Aplicativo faz sonhos dos artistas virarem realidade (virtual)

Os desenvolvimentos das plataformas para Mobile VR facilitaram o acesso e acenderam o interesse por novas experiências em realidade virtual. Grandes players e inúmeras startups estão trazendo novidades e gerando previsões muito positivas para os próximos anos. [1][2][3]

Gartner Hype Cycle for Emerging Technologies — 2016

No entanto, a criação de conteúdos para VR ainda é concentrada em produtoras especializadas, principalmente na área de games, o que fica sendo um dos “gargalos” para uma maior expansão deste mercado.

Ocorre que o conhecimento para criar conteúdos em VR passa por diferentes especialidades e softwares (modelagem 3D, game engines [1][2][3], tratamento de imagem, linguagens de programação), sendo uma barreira de entrada para muitos artistas. Além disso, muitas tarefas estão limitadas a mouse e teclado, restringindo a variação e sutileza das expressões artísticas. Assim, toda uma massa de criadores individuais se encontra alheia às oportunidades de criação artística na realidade virtual.

Unity 3D (game engine)

Em 2015, a Google adquiriu o aplicativo Tilt Brush da Skillman & Hackett para pintura virtual 3D e o disponibilizou em Abril/2016 para HTC Vive e Windows. A interface intuitiva permite que leigos façam suas criações em VR e abre possibilidades para educadores e artistas.

Da mesma forma que o mercado de audiovisual teve grande crescimento a partir da massificação das ferramentas de produção (gopros, smartphones, etc), permitindo que pessoas comuns e artistas individuais criassem seus próprios conteúdos, originando memes e youtubers, o mercado de VR também pode ganhar mais impulso ao tornar acessível a criação de conteúdos.

Se Van Gogh, Dalí, Picasso, Escher… com poucas ferramentas e cores, emocionaram e inspiraram tantas pessoas, o que os artistas poderiam fazer sem essas limitações?

Experiência de light painting com Pablo Picasso. Foto de Gjon Mili, 1949.

Imagine os mais criativos designers, pintores, escultores, grafiteiros, tatuadores, arquitetos, engenheiros, cineastas, estilistas, cenógrafos, dançarinos… trazendo toda sua expressividade para o mundo virtual, livres das restrições espaciais e materiais do mundo físico.

Experimentação

A Google tem organizado programas de residência direcionados a artistas que queiram explorar as possibilidades do Tilt Brush. Em janeiro/2017, foram selecionados 60 criadores de diferentes especialidades para realizar testes na plataforma e dar sugestões. Veja alguns trabalhos:

Outros trabalhos:

Funcionalidades

A versão atual do software ainda apresenta poucos pincéis, permite somente traçados tridimensionais e não oferece formas geométricas. No entanto, o fórum do aplicativo está repleto de sugestões, combinando funcionalidades conhecidas dos softwares de edição de imagens, animação e modelagem 3D.

Imagine utilizar toda a liberdade de movimento do mundo real com os seguintes recursos digitais:

Detalhe da interface do Tilt Brush
  • Desfazer ações, copiar e colar, replicar, fazer zoom in/out, aumentar/reduzir, rotacionar, fazer seleções, distorcer, salvar, enviar;
  • Mudar tamanho e variedade de ferramentas e traçados;
  • Alterar características dos materiais (cor, textura, opacidade, brilho, …) que podem ser estáticas ou animadas, aplicar efeitos, padrões em escala micro e macro;
  • Controlar ambiente com gravidade, iluminação, tempo, espaço, elementos (fogo, água, vento, fumaça, …), movimentos e mudanças nas formas;
  • Trabalhar em diferentes camadas, automatizar processos com scripts, usar algoritmos para animações;
  • Usar comandos de voz, rastrear movimentos e gestos, programar interações, acontecimentos, efeitos sonoros, efeitos táteis;
  • Utilizar modelos prontos para cenários, objetos, inserir fotos, vídeos e sons, desenvolver narrativas e jogos;
  • Integrar com aplicativos externos e sensores, permitir exportar trabalhos para vídeos, impressoras 3D ou dispositivos holográficos;

Dentre os recursos mais esperados, está a funcionalidade de trabalho multiplayer, já em implementação. Lembra do sequenciamento do genoma humano? Foi um mega projeto, viável graças a uma plataforma comum e colaboração de milhares de cientistas ao redor do mundo. Será um dia isso possível, milhares de artistas colaborando, em um grande projeto artístico?

Outro ponto interessante de pensar seria dar liberdade ao público para acessar o ambiente, visualizar, interagir e se movimentar pelas obras artísticas. Como seria uma Burning Man virtual, com live sessions, sem a dificuldade logística de transportar as obras até o meio do deserto? =)

Alternativas

Para fazer frente a empolgação com o Tilt Brush, os concorrentes vêm trabalhando no desenvolvimento de produtos similares:

Arte Pós-Real

Todas essas inovações podem dar início a uma nova era nas artes. Um dos grandes avanços da arte contemporânea foi liberar a arte dos seus suportes tradicionais (a pintura do quadro, por exemplo) — “O museu é o mundo”, como disse Hélio Oiticica. Porém, grande parte das obras de arte ainda permanece submetida às imposições do mundo físico.

A partir da realidade virtual, a imaginação humana poderá ser expressada e compartilhada além da quantidade (e custo) de materiais, espaço, tempo, gravidade. Não mais diretamente subordinada às leis do mundo, restrita a imaginação individual ou a especialistas com conhecimento técnico, mas radicalmente aberta à criação colaborativa de novos mundos.

J. Carlos, 1927

Para concluir, lembrei do incrível curta-metragem “World Builder”, lançado há 10 anos atrás. A história é uma ficção-científica… fica a pergunta: até quando? =)