Orgulho de ser blogueiro, twitteiro, nerdcasteiro e etc.

Texto publicado em março de 2010 em uma coluna no projeto Yahoo! Posts que não está mais no ar, mas a minha opinião continua valendo.

Com o avanço das ferramentas de mídias sociais como o Twitter e o Facebook, tem muita gente achando que os blogs estão com os dias contados. Nada pode ser mais distante da realidade, já que a maior parte dos links que são divulgados nestas ferramentas remete justamente aos próprios blogs! É claro que, em certos casos, o Twitter pode sim acabar com um blog, mas nunca por concorrência de público, e sim porque o autor acaba dedicando tanto tempo ao microblogging que deixa escrever em seu próprio blog, o que é um absurdo, mas que acontece com muita gente boa por aí. Como eu sempre digo aos meus amigos, é preciso muita disciplina e criatividade para criar um blog de sucesso (ou um perfil no twitter com muitos seguidores), mas para mantê-lo no ar é preciso ainda mais empenho.

Por incrível que pareça, nos últimos tempos eu tenho lido no Twitter que (abre aspas), ser blogueiro é algo do qual a pessoa deve se envergonhar (fecha aspas). Os argumentos são inúmeros, e tão profundos como uma poça de lama, mas a essência dos ataques é que os blogueiros são os responsáveis por tudo de mal que acontece na Internet, especialmente se ousarem ganhar algum dinheiro (por menor que seja o valor) com seus blogs, algo que incomoda os puristas da web. A grande maioria dos blogueiros que eu conheço são pessoas dedicadas, éticas e íntegras.

É claro que existem exceções que envergonham os blogueiros sérios, mas a verdade é que isto acontece em qualquer atividade. É um tipo de pessoa (eu me recuso a chamá-los de blogueiros) que vive de carniça, ou seja, cria blogs que simplesmente replicam conteúdo de outros blogs com o único objetivo de ganhar dinheiro com publicidade. Só que muitos outros encaram seu ofício com respeito por seus leitores, e merecem o nosso respeito. Se estas pessoas dedicam todo o seu tempo aos seus blogs, e conseguem ser remunerados por isto, podem ser chamados de profissionais no que fazem sem qualquer tipo de vergonha. Eu mesmo já exerci esta profissão em tempo integral, isto se você me permitir chamar esta atividade desta forma.

Eu confesso que sou um autêntico blogueiro, e tenho muito orgulho em dizer isto. Eu devo muitas coisas ao meu blog, sem esquecer é claro de toda a minha vivência nas redes sociais, da qual falarei nas próximas linhas. Se hoje em dia eu sou convidado para escrever matérias em revistas, para ser entrevistado por programas de televisão e para participar de eventos nos Estados Unidos, devo tudo isto ao meu blog, o Digital Drops. E sinceramente não vejo nada de errado em quem prefere ser chamado de problogger, embora este não seja mais o meu caso, pois atualmente trabalho como analista de mídias sociais em uma empresa (atualização de abril de 2017: trabalho desde 2013 apenas com meus sites).

Assim como aconteceu com os blogs alguns anos atrás, as mídias sociais estão na moda, e dominam a grande mídia, servindo até como pauta para muitos jornalistas preguiçosos. Muitos analistas de mídias sociais que eu conheço são meus amigos, mentores e mestres, e servem como grande fonte de inspiração para mim. Outros resolveram se denominar assim sem ter muita experiência no assunto, mas a verdade é que isto não é um privilégio desta profissão, pois existe muita gente por aí que não entende nada sobre os assuntos nos quais se diz especialista, incluindo blogueiros, é claro.

Agora vamos acabar com um mito. Ninguém vive de Adsense se não tiver no mínimo centenas de milhares de pageviews por mês, ou pelo menos muitos leitores interessados nas ofertas de produtos e serviços que são exibidos no blog, o que depende muito do conteúdo exibido. A única forma de ganhar dinheiro de verdade com o seu blog é exibir publicidade direta, direcionada para o público alvo certo, ou quem sabe transformar seu site em uma loja, como fizeram os meus amigos do Jovem Nerd com imenso sucesso. Eu já ouvi muitos anunciantes reclamarem com os donos de blogs, dizendo que a taxa de retorno de cliques está sendo baixa. Acontece que existe um imenso valor institucional em vincular a marca de uma empresa a um veículo de comunicação dinâmico e respeitado como certos blogs que simplesmente não pode ser medida em cliques. Eu quero deixar claro que não estou falando de todos, e sim dos melhores blogs, onde existem muitas oportunidades para os anunciantes veicularem propaganda dos seus produtos e serviços.

Para concluir este post, não estou dizendo que qualquer pessoa que tem um blog deveria sentir orgulho, pois tudo depende de qual o blog, qual o assunto discutido e quantos leitores você tem. Mas o mais importante e essencial é você mostrar respeito por si mesmo e pelos seus leitores, além de trabalhar sem parar para conseguir alcançar os seus sonhos. No momento em que você toma esta atitude, quando você passa a encarar todos os seus desafios com intenção, confiança e a certeza de que vai chegar lá, tudo vai conspirar a seu favor, pode acreditar. Se este é o seu caso, pode ter a certeza de que estou torcendo por você.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.