Quando a ineficiência de um serviço público faz você se sentir culpado

Até semestre passado, eu estudava no Centro Universitário Senac de Santo Amaro, que ironicamente não fica em Santo Amaro. O Senac fica em um terra esquecida por Deus, chamada Jurubatuba. Uma terra tão sem lei, que apelidaram a faculdade de Senacre, o que convenhamos, para eu que moro em Santana, mais especificamente na Casa Verde, é um nome nada mais do que justo.

Para você que não tem a menor noção de localização em São Paulo, eu vou resumir de uma forma bem simples pra você. Eu demorava duas horas e meia para ir e mais duas horas e meia para voltar da faculdade (a volta as vezes demorava menos). E por muito tempo me senti culpado por isso. Me sentia culpado por ter escolhido uma faculdade tão longe, as vezes me sentia culpado por sair em horário de pico, mas demorou quase um ano para eu culpar o sistema de transporte público, mais especificamente o Metrô.

Se as obras da linha 5 — Lilás fossem concluídas, eu demoraria pelo menos, uma hora, ou até uma hora e meia a menos para chegar na aula. Contando a ida e a volta, seriam de duas a três horas por dia. Mas não é sobre isso que pretendo falar.

A segurança pública

Se você perguntar qualquer coisa para algum senacreano ou jurubatubense sobre a região, provavelmente a resposta vai ser a mesma: perigosa.

Eu pessoalmente nunca passei por nada, mas ouvi inúmeras histórias de alunos que foram assaltados, um amigo meu foi sequestrado (duas vezes), um ônibus foi assaltado recentemente, e como esquecer do aluno que tomou três tiros na cara? Mas é claro, tudo isso é causado porque a galera não toma cuidado, porque o Senac não coloca seguranças na região e porque não são feitos boletins de ocorrência o suficiente.

O descaso da polícia é tanto, que eu posso afirmar ter visto mais pombas filhotes do que viaturas de polícia rondando a região. Mas ainda culpa-se a instituição particular que não coloca seguranças na região. Quer dizer que o reitor da faculdade deve contratar seguranças particulares para cuidar da região? Ou nós que temos que andar juntos? Porque não podemos confiar na polícia para cuidar da segurança pública?

Pagamos impostos e temos um órgão especializado em segurança pública, com profissionais que passam por anos de treinamento e seleção, que deveriam nos proteger, mas além de não cumprirem esse papel, fazem nós cidadãos ainda nos sentirmos culpados por não tomar cuidado.

E ainda continua o discurso de que nada disso aconteceria se fosse legalizado o porte de armas. Se eu fosse um bandido e estivesse assaltando alguém, pelo simples fato da minha vítima poder reagir, eu me sentiria na obrigação de sentar o pente inteiro da arma caso a pessoa coçasse o cabelo. Essa é a sua solução?

Então deixo aqui esse manifesto, e pedido, para você, senacreano ou não, jurubatubense ou não, deixe de se sentir culpado pela ineficiência dos órgãos públicos, e no lugar disso, cobre-os, pois assim ajudará não só você, mas a todos.