Sancta Sapientia III

Sorrir o teu sorriso

Sem te ver

Em palavras não escritas

Compreender

A poesia dos teus olhos

E merecer

Por caminho tão distante

Perecer

No silêncio pelas eras

Procurar

Mesmo inconsciente

Desejar

Aflito pelas horas

Desabar

E então quase do nada

Te encontrar

O Sabedoria, por que foges?