Insurreição Política da Classe Média Brasileira: Golpismo e Corrupção
Paulo Henrique Vieira
32

Achei o artigo muito bom, muito bem construído e gostoso de ler. Mas há uma coisa que me incomoda: será que podemos mesmo colocar tudo na conta da tal “classe média”, como se não houvesse outros interesses em jogo? Até que ponto a classe média tradicional conduz este movimento anti-petista, e até que ponto ela é conduzida por ele, atendendo a chamados de grupos que até outro dia nem existiam, que surgiram e souberam moldar um discurso conservador, moralista, tacanho do ponto de vista acadêmico, mas que agradaram aos ouvidos desta gente toda?

Outra coisa: as manifestações a favor do governo não podem ser consideradas, também, como manifestações de classe média? Parece que o “povão” não foi às ruas ainda, não se identificou com a turma de amarelo-CBF nem com os de vermelho. Estive na manifestação de 31/03 aqui em Brasília, e os únicos pobres presentes pareciam ser os trazidos pela CUT ou por federações e sindicatos rurais de várias partes do Brasil. Será que os pobres de Ceilândia, Planaltina, do Entorno de Brasília, estavam lá?

Like what you read? Give Nikolas Spagnol a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.