Uma das lembranças mais fortes da minha infância em Vila Velha é da Livraria Logos do centro. Minha mãe me levava lá quase toda manhã de sábado ou de domingo. Eu sempre estudei turno integral, ela sempre trabalhou dia e noite e esse era nosso momento de mãe e filha, nossa diversão de finais de semana. Às vezes ela comprava um livro pra mim, às vezes pra ela, mas na maioria das vezes ela não comprava nada. Me levava à livraria para eu poder viajar nos livros, como eu costumava dizer quando criança. Era meu parque de diversão e depois do quintal da casa da minha vó era o melhor lugar do mundo. 
Eu pegava um monte de livro pra ler — ou fingir que ia ler. Passávamos lá horas. Ficava impressionada como os livros de direito da minha mãe eram grandes e grossos e falava que um dia ia ler livros tão grandes quanto aqueles. Também falava que um dia eram os meus livros que estariam ali e que eu teria uma livraria bem grande e bonita com um café dentro. Na verdade, esse era o sonho da minha mãe, mas eu sonhava com ela. Ela tinha visto isso em algum filme e falava o tempo inteiro de uma livraria com café. Não existia em Vila Velha e nem em Vitória algo assim e ela tinha vontade de beber café enquanto lia um bom livro em um livraria aconchegante e agradável, como dos filmes que ela via.
Estou escrevendo isso porque agora pouco passei a pé em frente de onde ficava essa livraria, agora com um outro nome, e lembrei dessas manhãs mágicas que eu tinha com minha mãe e de como eu esperava ansiosamente o final de semana para isso . Senti uma certa tristeza em ver que ela não estava mais lá. Ainda é uma livraria, mas não aquela livraria. Acho que agora vende apenas livros escolares e didáticos. Não é a mesma coisa. Aquele lugar que encheu minha infância de sonhos e de alegria e que hoje já não existe mais.

Ainda gosto de livrarias. Não existe mais a mesma mágica de antes, já não vou mais tanto como quando era criança. Às vezes eu entro em alguma dessas livrarias bem grandes e com café, pego um ou dois livros para ler, mas logo me distraio com todas as outras coisas que agora vendem em livrarias. Games, dvds, blu-ray, discos, eletrônicos, brinquedos, doces e todos os tipos de café, dos mais simples aos mais sofisticados. Sinto falta quando as livrarias vendiam apenas livros e não serviam café.

Like what you read? Give Nina Cristina a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.