Descobriu alguma alergia alimentar por aí?
Bem vindo ao clube…

Um guia para os seus primeiros passos

Junte-se à multidão!

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (entidade americana), as alergias alimentares em crianças estão em ascensão. Crianças diagnosticadas com uma alergia alimentar são 2 a 4 vezes mais propensas a desenvolver alergias a outros alimentos. Além disso, sabemos que o componente familiar é muito importante nessa história e assim como irmãos de crianças com alergia alimentar têm uma maior chance de desenvolver as suas próprias alergias alimentares - muitas vezes até para alimentos diferentes - filhos de pais com alergias alimentares são mais propensos a desenvolver suas próprias alergias alimentares, e além disso, mesmo pais não alérgicos podem sim, ter filhos com alergias alimentares.

Não se assuste, uma boa dose de informação pode ajudar a assumir esta responsabilidade com maior facilidade. Veja:

Estratégias de enfrentamento

Uma vez que seu filho tenha sido diagnosticado com uma alergia alimentar, não se surpreenda se você se sentir triste ou frustrado. As mudanças de estilo de vida não são fáceis e ainda há uma porção de circunstâncias que estarão além do seu controle. Meu objetivo é fornecer-lhe os recursos e estratégias de enfrentamento que você precisa para aprender a lidar com toda essa situação com a menor confusão possível. Não se preocupe, a ferramenta mais importante você já tem — o amor e o desejo de ver bem quem você ama.

Peso e Nutrição

Passado o susto, vamos ao que importa: Você deve estar se perguntando como alimentar seus filhos para garantir um bom desenvolvimento apesar das restrições da dieta de tratamento. O maior desafio, a bem da verdade, é encarar uma dieta mais saudável e corrigir os chamados “erros alimentares” porque uma dieta equilibrada e bem orientada, pode suprir as necessidades da criança mesmo com as restrições impostas pela alergia, e o mais legal: sem exigir reposições ou medicações em boa parte dos casos. Tudo vai depender de como estará a criança no momento do diagnóstico. Além disso, se você estiver amamentando um bebê com alergia alimentar há uma preocupação com a sua saúde também, afinal você também fará a dieta de restrição. Apesar deste desafio, criar crianças com alergias alimentares de forma saudável pode ser mais simples do que você pensa se você puder contar com o acompanhamento de profissionais experientes. Essa ajuda será fundamental.

Tempo e Dinheiro

Ao lidar com um novo diagnóstico de alergia alimentar, você precisará de ambos e isso pode trazer receio e a sensação de que você não conseguirá, mas não se assuste porque hoje em dia a troca de informações tem mudado muito esse dilema. A chave é receber e passar adiante informações confiáveis que vão desde o nome dos profissionais certos para o acompanhamento, passando por receitas para os pratos mais comuns com as substituições que as dietas exigem, e por fim, informações sobre produtos seguros a serem comprados e onde encontra-los de forma mais fácil e mais em conta.

Produtos e o seu papel como consumidor

Aproveitando o gancho das informações me diga: Não seria bom se você pudesse ir a apenas um lugar e encontrar uma grande variedade de tudo aquilo que você precisa? Infelizmente isso ainda não é possível na maioria das cidades, mas sem querer fugir muito do nosso tema, preciso dizer o quão é importante que você saiba exercer seu papel de consumidor de uma forma mais ativa: Questione os mercados, as lojas, os restaurantes que você costuma frequentar e exponha suas necessidades. Isso fará com que eles dividam com você a busca pelos produtos e serviços.

Receitas e Ciência da Cozinha

Até que a disponibilidade dos produtos certos melhore, a grande saída pode estar dentro da sua casa, e isso significa que você precisará passar mais tempo na cozinha. Atualmente há muitas fontes de receitas livres de alérgenos alimentares e além dessas receitas prontas, você pode aprender a fazer as substituições dos ingredientes que não pode usar por outros e isso permitirá adaptar as suas próprias receitas e ainda criar outras, com base nas necessidades específicas de sua família.

Crianças e pais

Uma das partes mais importantes do tratamento está na conscientização da criança sobre suas restrições. Essa etapa precisa ser adaptada a fase de compreensão da criança de forma que ela possa se envolver com seu próprio tratamento. Você pode tentar jogos como o jogo da memória (o que eu posso comer? o que não posso?), pode convida-los, se for possível, para preparar os alimentos com você, pode também, organizar reuniões em casa, como festas e tardes de brincadeira para ajudar os amigos das crianças e seus pais a entenderem mais sobre o assunto e assim ajudar nos momentos em que você não estiver por perto. Discuta o assunto com a escola de seu filho e certifique-se de que ela compreende suas necessidades e tem condições de respeita-las. Tudo isso para que seu filho não se sinta isolado e possa viver confiante apesar das restrições das alergias alimentares.

Lembre-se: o desenvolvimento saudável de seu filho também inclui seu bem-estar mental, social e emocional além de todos os outros aspectos físicos de sua saúde. Sem perceber, logo você também será uma fonte de apoio para pais em situação semelhante.

Um grande abraço!

Dr Bruno
Nosso Pediatra

Fontes:

Centros de Controle e Prevenção de Doenças

Pesquisa e Educação sobre Alergias Alimentares

Marque este blog e visite-o com frequência, junte-se à nossa rede social e conte aos seus amigos sobre nós!