Claro que dança.

Como se eu pudesse sentir cada grão de areia, e ao mesmo tempo não sentir nada. Como se eu pudesse ouvir todos os barulhos desta casa, e ao mesmo tempo eu me tornasse meu próprio silêncio. Como se eu pudesse estar em todos os lugares, e ao mesmo tempo estar no meu quarto sozinha como sempre. É tudo um dilema. E eu não tenho lema. É quase uma confusão e digamos que não é tão bela assim. Uma peça teatral. Um circo sem atrações. Um livro que não poderia ser relido. Como se eu pudesse me sentir em cada ponto na galáxia e ao mesmo tempo,eu tento ser ao menos um ponto na vida de alguém. É, eu não tenho quase esperança. Mas eu juro, que se na próxima esquina eu encontrar a solidão, a gente dança.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Camila’s story.