Lucro x Lucratividade x Rentabilidade

Coloque-se na seguinte situação. Seu amigo Wenceslau, que acabou de abrir uma empresa, chega todo garboso e profere em tom orgulho:

— Ei, minha empresa lucrou mais de R$ 30.000,00 esse mês, ó! Bota fé?

Depois de treinar os conceitos financeiros, a primeira coisa que você se pergunta ao ouvir tal assertiva é se Wenceslau está realmente usando corretamente o conceito de lucro. Será que Wences está se referindo a lucro bruto ou lucro líquido? Será que ele está falando de lucro ou de disponibilidade de caixa? Todavia, suponhamos que Wenceslau esteja realmente se referindo a Lucro Líquido.

E aí? Esse dado solto do jeito que está é suficiente para que você infira, com precisão, sobre a saúde financeira do negócio de Wenceslau?

Hmm… Parece que não, correto? Nos faltam outros parâmetros para adicionar perspectiva a esse dado.

Ora, uma pergunta válida seria:

— Sim, meu caro Wences, quanto tua empresa teve que vender para alcançar esse lucro aí que você com tanto gosto profere aos 7 ventos.

Justo. Se Wenceslau vendeu R$ 50 mil e desses conseguiu lucrar 30 mil mangos, ele parece ter um negócio interessante nas mãos. Agora se Wences teve de vender R$ 1.000.000 para obter esses mesmos 30 mil, aí, em primeira análise, o negócio ja não nos parece tão atraente.

O que a nossa mente está fazendo pra obter esse sentimento é simplemente dividindo uma grandeza pela outra. Na minha matemática:

30 mil de lucro líquido / 50 mil de faturamento = 60%

Esse mágico percentual aí é chamado de Margem de Lucro Líquida (Margem Líquida para os íntimos) e informa sobre a lucratividade do meu negócio. Ele representa a minha capacidade de transformar faturamento em lucro líquido.

É necessário falar, que para certos negócios, vender R$ 1 milhão para obter R$ 30 mil de lucro líquido não vai ser nada mau. Se você comercializa uma commodity, seus volumes de venda são imensos, mas sua margem de lucro é bem reduzida.

Ter alta lucratividade significa, via de regra, que você está todo arrumadinho. Supondo que você seja uma empresa comercial, ter alta lucratividade vai dizer que você está comprando os produtos para revenda por um preço bacana, que está conseguindo vender também por um preço decente e que a sua estrutura administrativa para dar suporte a esta operação está proporcional ao tamanho do seu negócio.

E aí, supondo que a empresa de Wenceslau obteve esses R$ 30 mil de lucro líquido vendendo meros R$ 50 mil, obtendo 60% de margem de lucro líquida, significa agora que podemos dizer que sua empresa é xou de bola?

Parece-nos que mais uma vez, ainda não!

Outra indagação válida ao magnata Wenceslau é esta:

— Wences, não me leve a mal não, mas quanto tu teves de investir nesse negócio para obter essa lucratividade mensal?

Para o quê Wenceslau responde:

— Mestre, tive de investir meros R$ 10 milhões…

Aí não né… O Wences tava indo tão bem, mas investir R$ 10 milhões para obter R$ 30 mil de lucro líquido mensal não nos parece muito atraente. O que nossa mente mais uma vez está fazendo é outra simples divisão. Segundo a calculadora do Windows:

30 mil de lucro líquido / 10 milhões de investimento = 0,3%

Supondo que os bens e direitos da empresa de Wenceslau ainda correspondam aos R$ 10 milhões investidos incialmente, esse percentual que acabamos de calcular é o Retorno sobre Investimento (Return On Investment — ROI ou Return On total Asset — ROA), uma medida de rentabilidade.

Veja bem, empreender é uma atividade de risco, regada dos mais diversos desafios. Se estamos investimento uma avalanche de dinheiro dessa, não podemos obter um retorno menor do que é pago pela poupança (uma aplicação livre de risco) e ainda considerar que o nosso negócio é uma boa. Então nos parece que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Uma coisa é eu ter lucro líquido, uma grandeza absoluta e isolada que precisa de contexto para ser interpretada. Outra coisa é eu ter boa lucratividade, sendo evidenciada aí pelo alto índice da minha margem de lucro líquida. Finalmente, outra coisa é eu ter rentabilidade, que significa o quanto de retorno eu estou obtendo por aquele capital investido no negócio.

Existem outras medidas de lucratividade e de rentabilidade? Sim, mas sempre a lucratividade vai ter como referência o faturamento enquanto a rentabilidade olhará para o capital. Só a título de exemplo:

  • Lucro bruto / faturamento → Margem de Lucro Bruta (Margem Bruta)
  • EBITDA / faturamento → Margem de Lucro Operacional
  • Lucro líquido / patrimônio líquido → Retorno sobre Patrimônio Líquido (Return On common Equity — ROE)

Mas não se perca nesse momento com os vários índices de medição de desempenho empresarial que surgirão. Eles são que nem Neston, tem mil maneiras de preparar, e sempre surge um professor que inventa uma!

Guarde que quando estamos falando de lucratividade estamos comparando lucro com faturamento e quanto estamos falando de rentabilidade estamos comparando lucro com capital investido.

Pra quem tiver ainda assustado com as nomenclaturas, quando formos visualizar uma DRE e um Balanço Patrimonial, essas denominações vão fazer mais sentido. Não nos avexemos nós.


Se você anda incomodado com a maneira como o seu negócio é estruturado, anda procurando formas de engajar pessoas, de ser mais responsivo ao dinamismo desse mundo complexo; mas sente que algo maior está te travando, vamos tomar um café (ou talvez algo mais gelado). A gente sente o mesmo e estamos na mesma busca.

Victor Batalha