Segredos

O olho bate, sempre além da escuridão

Aonde o peito abre, ali estás

Além do muro,

Do soturno

Ali a canção

Enquanto contas teus segredos ao vento

Teu destino

São todos

No infinito

Indo e vindo

Eterno retorno

Retorno eterno

E que sejas tudo

Enquanto vais te vejo

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Nuno Dorgan’s story.