Consumo de bebidas lácteas e riscos à saúde

Recentemente fomos chocados pela triste morte de um garoto de 2 anos que residia em Cuiabá no estado do Mato Grosso. Segundo relato dos pais a criança começou a sentir mal-estar após consumir uma bebida láctea sabor chocolate, não resistiu e veio a óbito. O caso segue sendo apurado, não se sabe ao certo o que causou a morte da criança porém, muitos pais preocupados com a segurança de seus filhos começaram a questionar a qualidade desses produtos e se devem ou não estar presentes na rotina alimentar de uma criança.

Largamente consumidos entre o público infantil, essas bebidas tem por definição serem “Bebidas lácteas UHT saborizadas”, podendo aparecer nas versões de chocolate, morango, napolitano, entre outros. Mas, o que significa ser “bebida láctea”? “A bebida láctea é o produto resultante da mistura de leite (in natura, pasteurizado, esterilizado, UHT, reconstituído, concentrado, em pó, integral, semidesnatado, ou parcialmente desnatado) e soro de leite (líquido, concentrado ou em pó) acrescido ou não de produtos, substâncias alimentícias, gordura vegetal, leite fermentado, fermentos lácteos selecionados e outros produtos lácteos (BRASIL, 2005). Constitui-se em uma forma racional e lógica de aproveitamento do soro de queijo para retorno à cadeia humana de forma palatável, sem prejuízo ao meio ambiente (ALMEIDA; BONASSI; ROÇA, 2001).”

Veja bem, quando oferecemos aos nossos filhos essas bebidas, estamos oferecendo não apenas leite, e sim uma gama de aditivos químicos que atuam na conservação e melhora do sabor, corantes que atuam melhorando a aparência, essências e aromatizantes artificiais, entre outros conservadores. Todos esses químicos podem desencadear diversas doenças e reações alérgicas, principalmente em crianças.

Vale salientar a grande quantidade açúcares e gorduras presente nessas bebidas que contribuem para o aparecimento de algumas doenças crônicas não transmissíveis como a obesidade.

O leite que hoje consumimos, também em embalagens longa vida, podem sofrer os mesmo riscos de contaminação que a bebida láctea, além de conter conservantes da mesma maneira. Ainda assim, é uma alternativa mais saudável para consumo quando comparada à bebida láctea. Se for fácil em sua região procure oferecer leite orgânico a seu filho, esses alimentos possuem um controle rígido de aditivos diminuindo a exposição à químicos.

Uma maneira de ter um melhor controle da qualidade do que ingerimos é preparar em casa nosso leite. Existe uma série de leites de cereais e castanhas que podemos fazer em casa igualmente nutritivos e com teor de cálcio interessante.

Sabemos que para que o cálcio seja aproveitado em nossos ossos é necessário que outros minerais estejam presentes em nossa alimentação, como magnésio e zinco, ambos presentes nas castanhas.

Para preparar o leite de castanhas é muito fácil! Basta deixar as castanhas de molho em água por pelo menos 4 horas. Descartar essa água do molho e colocar as castanhas no liquidificador. Para cada xícara de castanhas é necessário 600 ml de água filtrada. Pronto! Basta liquidificar e coar em peneira bem fina ou coador de café.

Para acrescentar sabor e saúde ao leite das crianças sugerimos utilizar cacau em pó ou chocolate em pó puro, além do sabor delicioso ainda possuem ação antioxidante em nosso organismo. Outra maneira de deixar ainda mais gostoso é bater com frutas, as crianças adoram com morango e banana.

É importante sempre avaliar o rótulo do que estamos consumindo, observar os ingredientes utilizados no preparo daquele alimento, a quantidade de gordura e açúcares e quais as fontes desses nutrientes. A indústria cria rótulos e propagandas sedutoras, com personagens infantis e jogos, cabe aos pais ter o discernimento para saber se deve ou não oferecer à criança.

Trabalhe a conscientização com seus filhos e cultive bons hábitos dentro de casa, dessa maneira ele não sentirá necessidade de consumir esses produtos. Quanto menos industrializados em nossa casa mais saudável seremos.

Ariela Issa

Nutricionista

Referências Bibliográficas

Perfil sensorial e aceitação de bebida láctea achocolatada Sensory profile and acceptance of milk chocolate beverage Sérgio Bertelli PFLANZER1 *, Adriano Gomes da CRUZ1 , Camila Lie HATANAKA1 , Priscila Lourezon MAMEDE1 , Rafael CADENA1 , José Assis Fonseca FARIA1 , Maria Aparecida Azevedo Pereira da SILVA1

ALMEIDA, K. E.; BONASSI, I. A.; ROÇA, R. O. Características físicas e químicas de bebidas lácteas fermentadas e preparadas com soro de queijo minas frescal. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 21, n. 2, p. 187–192, 2001.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 16, de 23 de agosto de 2005. Regulamento de Identidade e Qualidade de Bebidas Lácteas. Disponível em . Acesso em: jun. 2006.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Nutri Gourmet’s story.