Fazer mais com menos

(Foto: Shutterstock)

“Fazer mais com menos”. É com este pensamento que a Seccional de Goiás da Ordem dos Advogados do Brasil estabeleceu uma série de medidas necessárias para recuperar a saúde financeira da instituição, de modo a permitir que ela se recupere e volte a caminhar a passos firmes e largos rumo ao futuro.

Para alcançar estes objetivos, a diretoria da OAB-GO trabalha incansavelmente em diversas frentes para modernizar a gestão. Num primeiro momento, fez-se necessário um rigoroso ajuste para reduzir custos, premissa básica para cumprirmos nossa missão de melhorar os serviços oferecidos à advocacia. No horizonte, avistamos uma gestão com mais eficiência e mais qualidade a menor custo. Foi necessário um trabalho árduo para racionalizar despesas, fundindo departamentos que executavam trabalhos semelhantes e diminuindo o quadro de funcionários.

A OAB Goiás era, no sistema nacional, um exemplo de má gestão, com uma folha entre as mais inchadas e incompatíveis com o volume e qualidade de serviços oferecidos. A seccional do Distrito Federal, por exemplo, atende a 38 mil advogados ativos, enquanto que a de Goiás está chegando aos 31 mil. São 7 mil advogados a mais. No entanto, a OAB-DF possuía 230 colaboradores, contra 517 na OAB-GO em 1º de janeiro de 2016. A seccional vizinha nos ensina que é possível trabalhar com uma máquina melhor estruturada, com sistemas mais eficientes, estrutura física e equipamentos mais modernos.

Mas nem tudo são cortes dentro do novo modelo de gestão. Foi preciso também abrir caminho para que o novo pudesse chegar e dar frescor à estrutura da seccional. Uma vez deixando a máquina mais leve, criou-se espaço tanto para a contratação de novos colaboradores, mais qualificados, quanto para a celebração de novos contratos para prestadores de serviço em bases mais vantajosas. Processo este que trouxe uma inovação há muito reivindicada pela categoria: transparência. A OAB, hoje, está fielmente atenta a princípios de publicidade e impessoalidade.

Já realizamos três processos seletivos para contratação de funcionários e perto de 60 convites públicos para empresas fornecedoras de serviços profissionais das mais diversas especialidades.

A confecção dos convites públicos leva em consideração a excelência aliada ao menor custo. Um exemplo foi a seleção para contratação de empresas de comercialização de alimentos e bebidas encarregadas de administrar todos os bares e restaurantes do Centro de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) da OAB-GO.

Entre outros aspectos, a vencedora assumiu o compromisso de investir na melhoria do atendimento e na variedade do cardápio, além de oferecer retorno financeiro, atuando como parceira da OAB. O objetivo perseguido foi o de proporcionar bem-estar aos frequentadores do clube, se guindo padrões de segurança e critérios de higiene estipulados pela Vigilância Sanitária.

Também foram abertas seleções para a contratação de seguro para o patrimônio da OAB e para a implantação de softwares para as sedes administrativas. A CASAG também realizou certame que escolheu a instituição que lhe prestará serviços bancários. A Credseguro, da rede Sicoob venceu a concorrência pública, que teve a participação de 13 instituições financeiras.

A OAB-GO disciplinou ainda a terceirização de atividades, alocando mão de obra de empresas especializadas, por exemplo, em serviços como jardinagem e paisagismo, limpeza e manutenção de piscinas, exploração e administração de estacionamento, construção civil, elaboração de projetos e fiscalização de obras, manutenção de PABX e de ar-condicionado.

Quando se reduz a máquina e se terceiriza atividades-meio, foca-se o campo de atuação para o fim, aquilo que efetivamente é o objeto da Ordem. Nosso negócio é prestar bons serviços à advocacia. Todas as atividades que não estiverem dentro deste escopo serão repassadas a quem faz melhor. E com preço menor.

Jacó Coelho, Secretário-geral da OAB-GO.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.