18 coisas que aprendi até os 18 | bônus track

Uma das coisas que curto muito nessas transições de ciclos é o fato de nos dar uma boa desculpa para tirar o pé do acelerador, parar e refletir um pouco sobre tudo aquilo que chamamos de vida.

Nesse sentido, resolvi pontuar dezoito aprendizados que me vieram à memória no momento em que sentei com o celular na mão disposto a conceber este post algumas horas antes de completar os tão esperados dezoito anos. Peço também desculpas às fontes que poderiam ser referenciadas abaixo mas tomei a liberdade de não me prender a isso primeiro porque não lembrava de algumas, bem como não é meu intuito deixar essa leitura densa ou pesada.

Ladies and gentlemen, eis convosco o resultado do exercício:

imagem meramente ilustrativa, infelizmente

#1 Erre mais pra falhar menos

Todos que conseguem acompanhar minhas ideias mais de perto sabem que sou um fortíssimo defensor da cultura do “fail fast”. Em suma, você vai errar. Logo, se tem que fazer algo, que o comece o mais rápido possível a fim de errar logo e, assim, saber como e o que não fazer da próxima vez. Claro que todos querem acertar, e esse é o grande objetivo real. O que muitos esquecem é que todo grande acerto é construído sobre a base de inúmeros insucessos e por vezes dolorosos, desastrosos e caríssimos erros. Sendo assim, erre mais e logo pra falhar menos e acertar mais à frente.

#2 Tudo tem o seu tempo, tudo mesmo

Uma das coisas em que o Whatsapp, bem como toda a pós-modernidade, mais foi prejudicial à vida em comunidade é no sentido de dar mais força e Wi-fi ao nosso desejo de instantaneidade. O homem desde sempre quis tudo pra ontem — se não o fosse assim, o sábio Salomão não teria advertido quanto a esperarmos o tempo certo de tudo há mais de dois milênios. O grande problema da nossa geração é que, além de querer, ela pode ter tudo (ou quase tudo) pra ontem. Somos a geração macarrão instantâneo que ainda não aprendeu que todos nossos problemas não podem ser resolvidos em menos de cinco minutos no micro-ondas.

#3 Tome decisões privilegiando o longo prazo

No jogo da vida, o que pode diferenciar amadores de profissionais é a capacidade de renunciar algo imediato com vistas a um propósito maior que somente será tangível mais a longo prazo. Confesso que ainda dou uma de amador muitas vezes, mas sempre que me pego diante de um dilema, penso logo: o que será mais importante para mim daqui a cinco ou sete anos? Um grande exemplo é esse próprio post. Se eu pensasse tão somente no curto prazo, lembraria que tenho prova próxima quarta-feira de mecânica clássica e, então, subtrairia de mim o prazer de daqui há bom um tempo ver o quanto o compilamento dessas ideias será importante ao meu crescimento pessoal só para estudar mais no hoje. Pense bem no seu depois de amanhã para que o hoje faça sentido e não seja desperdiçado com o agora.

#4 Prioridade é uma palavra que não tem plural

O CEO da Ace, Pedro Waengertner, gosta sempre de lembrar uma frase que uma antiga prefeita de São Paulo costumava dizer: “prioridade é uma palavra que não tem plural’. Em termos práticos, isso significa ter que dizer não a propostas legais de modo a não embaçar seu foco e sacrificar suas prioridades. (Ops, não pode plural.) Isso é tão difícil que às vezes penso que vou ter que viver no mínimo mais dezoito anos lutando pra deixar as primeiras coisas no primeiros lugares.

#5 Melhor feito que perfeito, 99% agora que 100% nunca

Descobri esses dias que uma das maiores causas para o pecado da procrastinação é o medo de fazer algo imperfeito. Queremos que tudo fique perfeitamente perfeito e, por isso, sempre deixamos pra amanhã, porque lá é o dia da perfeição.

#6 Nunca faça nada sem que antes alguém o tenha pedido

Valide tudo! Se tivesse isso em mente há uns três anos, teria aproveitado meu tempo, energia, e amigos de uma forma muito melhor. Suas ideias podem te salvar, mas na maioria dos casos, elas são suas inimigas. Logo, tenha certeza de que alguém está gritando em algum lugar pedindo socorro e que alguém faça algo para então começar a fazer tal coisa — e de preferência tenha o e-mail e um contrato assinado com essa pessoa. Parafraseando o Thomas Edison, nunca invente de fazer nada que ninguém seja capaz de pagar por aquilo.

#7 Nunca reprove em química

Levar tudo em que você se envolver a sério, na vera — inclusive o ensino médio. Eu não fiz isso. E é uma das poucas coisas que me arrependo. Não que ter aprendido todas as fórmulas de físico-química ou decorado os nomes de todas as funções de química orgânica pudessem me fazer hoje uma pessoa melhor. E, de fato, não fui um aluno tão fraco: fiquei na média. E esse foi o problema. Até porque jogar o jogo quase sempre é necessário — principalmente quando se decide encarar uma engenharia depois do enem.

#8 Nunca se apaixone por ninguém da mesma turma

Entrando um pouco mais a fundo na vibe high school, esse foi um conselho que ouvi de uma amiga um pouco mais velha que eu que já tinha passado por algumas experiências no ensino superior enquanto eu estava no último ano do IF. Por que será que ninguém me contou isso no primeiro ano, minha gente? Já era tarde demais.

#9 Nunca procure emprego

O vírus do empreendedorismo me contagiou mesmo quando li um livro com esse nome ano passado. Não que seja pecado você vender seu tempo a uma empresa ou ao Estado. Mas existem certas pessoas que não se encaixam nessa forma que nossos pais, em grande maioria, foram forjados. Para ir direto ao ponto, você não precisa de muito para começar a ser o principal responsável pela sua vida e ter autonomia sobre seu tempo e esforços. Isso quer dizer será mais fácil? Claro que não. Isso quer dizer que você ganhará dinheiro mais rápido? Não mesmo. Isso pode dizer, no mínimo, que será mais instigante, mesmo sendo mais pesado e ralado. Leiam o livro, gente.

#10 Diplomas e certificados não certificam nada

Mas suas habilidades, rede de contatos e sua trajetória de resultados sim. E isso já basta.

#11 As melhores bandas, os melhores filmes, os melhores times… tudo chega ao fim

Se até a Solange saiu do Aviões do Forró, o Logan (pois bem, spoiler detected), e o São Paulo de hoje não é de longe o time de 2005–2008 (os anos em que aprendi a amar o futebol), podemos dizer que os ciclos, realmente, chegam ao fim. Não gosto muito de lembrar disso, mas é bom ativarmos o senso de urgência de tempos em tempos e lembrarmos que nada é para sempre. Nada mesmo. Por isso viver intensamente cada ciclo, levando à vera e priorizando o que deve ser priorizado é tão importante.

#12 Identidade e missão estão coladas uma na outra

Saber quem somos é fundamental para saber o que devemos fazer. Não esqueça de quem você é e você saberá o que deve ser feito. Quem eu sou e o que devo fazer estão sempre de mãos dadas lutando por uma causa viva. Tentar desvincular uma da outra é atestado de óbito pra qualquer causa que eu levantar a bandeira. E lutar por uma causa morta é a pior morte que alguém pode viver.

#13 Jesus não é que se vê na TV

Ter tentado levar mais a sério meu relacionamento com a causa de Cristo e sua missão nos últimos anos me revelou um Jesus muito diferente da caricatura pintada pelos evangelistas da prosperidade na TV e por alguns que tentam pintar um Jesus “popstar” ou outros que até mesmo apresentam um Jesus “líder sindical”. O maior erro da nossa geração é querer colocar Jesus de volta na sepultura quando, na real, ele já ressuscitou ao terceiro dia. Jesus não é o que o Edir Macedo vende. Se quiser conhecer mais do verdadeiro Jesus, lhe convido a tomar um Ovomaltine e a gente conversar melhor. E não podia deixar de lembrar disso.

#14 Ame pessoas, use coisas. E nada de vice-versa

Amar pessoas e usar coisas a fim de fazê-lo. O contrário, apesar de claramente não fazer tanto sentido, é muito mais comum do que se imagina.

#15 Nenhum projeto atrasa 1 ano: atrasa 365 dias

Pequenas decisões deixadas para serem tomadas depois do fim de semana, pequenas reuniões improdutivas que levaram mais tempo que deveriam e aquele contato que deveria ter sido estabelecido antes do carnaval mas que foi melhor deixar o ano começar oficialmente. Hackear o todo em partes é muito importante de modo a não deixar pequenos atrasos tornarem-se bola de neve e comprometerem um projeto maior. Grandes coisas sempre são feitas de inúmeras pequenas coisas.

#16 Busque mentoria, seja discipulado

Siga o mestre. E o mestre é alguém que já provou como se deve chegar lá. Defina objetivos grandes e observe quem, perto de você, os já alcançou de verdade (seja passar em um exame, construir uma empresa ou ser um cristão verdadeiro). Depois disso converse com essa pessoa e peça que ela doe uma hora da sua agenda semanalmente ou a cada quinze dias e tente sugar o máximo de conhecimento e conselhos possíveis dela. Depois de alguns meses, você verá o quanto deixou de andar em círculos e chegou mais próximo de quem quer ser e onde quer chegar. Tenha um mentor! E se você já pode, não deixe de acompanhar de perto alguém mais jovem ou menos experiente que você. A troca de conhecimento e o crescimento mútuo serão incríveis.

#17 Você é a média das cinco pessoas

Somente duas coisas te impedem de ser a mesma pessoa daqui a cinco anos: os livros que você ler e as pessoas que se aproximar. Se cerque de gente boa e será muito pouco provável que você não seja parecido com elas. E hoje, com instagram, zilhões de livros em pdf e muitas outras formas de se aproximar de gente incrível e saber o que elas pensam, ficou mais fácil de elevar o nível dessas cinco pessoas. Seja seletivo. Dê bom dia pra todo mundo e seja agradável a todos, mas só invista tempo em quem pode te fazer uma pessoa melhor.

#18 Titias mentem: você não é especial

As pessoas não se importam com você nem estão nem aí para o que você acha ou deixa de achar. Desculpa ser tão duro, mas a realidade é que o mundo não é lugar tão confortável quanto a casa da nossa vó enquanto éramos crianças ou nossa escola do jardim de infância. Para muita gente, você não é mais importante que o smartphone delas. E isso não é nada animador. Mas, calma, não é hora pra mimimi. Saber que todos estamos em pé de igualdade no sentido de insignificância é consolador quando nos permite pensar que também não estamos sozinhos nessa e que, de fato, não devemos nada a ninguém. Injustamente, a vida é um game jogado no modo hard desde o início para alguns, enquanto estará eternamente no easy para outros; mas o que me alegra é saber que a gente vai aprendendo a jogar de acordo com as fases, e que quanto mais é elevado o nível mais profissionais vamos nos tornando na brincadeira. E como diria o poeta, se a vida fosse fácil ninguém nascia chorando.

#19 Se esforce pra entregar mais do que as pessoas esperam, sempre.

Se você foi Homem ou Mulher para chegar até aqui, deixe-me dizer uma coisa: entregar mais do que o prometido ou o esperado gera uma excelente impressão. Em um mundo onde as expectativas são em muito frustradas, permitir serem superadas pode ser um presente sem valor aos outros. Em suma, se doe mais. Se esforce para superar as expectativas e surpreender sempre. A vida agradece.

ps1: Peço licença desde já ao meu compromisso de postar um texto de até cinco minutos com meus aprendizados do mês anterior todo dia 01 para deixar o dia 12 de março ganhar destaque dessa vez — a partir de 01º de abril prometo que estarei de volta, e não é mentira.

ps2: tudo o que falei aqui representa fielmente muito bem o que acredito até o dia 12 de março de 2017. O futuro e o que vou pensar nele a Deus pertence, e talvez seja um pouco diferente — ou não.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.