Sobre mim, Elliott Smith e o passado

Eu tava aqui tentando dormir, sem sucesso, por sua vez. Pensei:’’ Nossa, eu deveria escutar Elliott Smith, porque sempre me ajudou a relaxar um pouco. Mas, ao invés de relaxar veio um turbilhão de coisas na minha cabeça. E eu vou explicar o porquê:

Eu tenho 19 anos e a primeira vez que ouvi Elliott Smith foi naquele filme Gênio Indomável- toca na cena final, nos créditos, especificamente. Mas confesso que ao escutar Miss misery ali, não me tocou tanto, o quanto tocou quanto escutei Between the bars em uma cena linda de um filme chamado Stuck in love. Isso aconteceu no ano de 2012, e a partir daí “decidi” que o Elliott ia fazer parte da minha vida pra sempre. Alguns meses se passaram, e após completar 15 anos, entrei naquela fase de experimentar/fazer tudo pra me sentir diferente das pessoas que eu me importava, na minha cabeça eu era superior a todos só porque gostava daquilo que eu ACHAVA que ninguém gostava também. Nessa minha fase insuportável, comecei a me sentir muito importante, pois só queria assistir os filmes que passavam no Telecine Cult, ahh também teve a fase mais insuportável ainda de achar que Donnie Darko era uma das maiores criações deste século. Mas eu superei, ainda bem. Ok, vou começar a relacionar o Sr.: Smith com filmes novamente; prometo que é a última vez. Dessa vez, a Marina adolescente decide que o Wes Anderson é o melhor diretor de todos, daí a Marina assiste The Royal Tenenbaums… devo lembrar que essa Marina agora tem pensamentos suicidas, tem problemas com autoestima e é obesa e etc. Continuando, coincidentemente, nesse filme mostra uma cena de uma pessoa tentando o suicídio, enquanto a trilha toca Needle in the hay. É, eu desabei ali mesmo, chorei tudo o que tinha pra chorar.

Não, esse texto não tem o propósito de ser coeso. Eu só queria falar que eu admiro a mulher que eu sou hoje, pois já entendi há um certo tempo que gosto musical não faz ninguém superior a ninguém, muito menos se autointitular cinéfilo.

Update maio/2017: No meus daily mixes do Spotify atualmente: Art Popular, Harmonia do Samba, Companhia do Calypso, Desejo de Menina e outros.

  • A nova Malhação é muito boa, tô assistindo todos os dias no You Tube quando chego da faculdade, pois estudo à tarde.

É ISSO