BONEQUINHA DE LUXO

por Vanilson Coimbra

Audrey não era um mulherão, mas tinha um charme que influenciou a moda e a fez um ícone. O modo de se vestir, o jeito delicado e o corpo esguio serviram de modelo para uma geração em todo o mundo. O detalhe é que Audrey não fazia esforço algum, era natural. O fascínio do mundo da moda por Hepburn é interessante porque revela a medida em que continuamos emocionados por belas poses e pela bela luz.

divulgação: officeimshoot

Em Outubro de 2015, eu convenci o maquiador e top fotógrafo Fernando Torquatto a interpretar e produzir esse ícone durante um Workshop “Olhar Criativo” que organizamos em São Paulo. O editorial que produzimos com uma equipe de fotógrafos, produtores e maquiadores, foi publicado na revista A de Novembro de 2015.

Com o cabelo puxado para trás, chiquetérrima em um vestido preto, portando uma elegante piteira, Audrey Hepburn incorporou uma imagem inesquecível que não esmaeceu com a passagem do tempo. Acrescente a isso a música marcante de Henry Mancini e um punhado de momentos clássicos (Hepburn cantando ‘Moon River’ e procurando seu querido gato pelas ruas de Nova York durante um temporal), e o resultado é um dos dramas românticos mais deliciosos e inesquecíveis produzidos em Hollywood.”

A iniciativa nasceu da necessidade de apresentar uma dinâmica prática de moda, beleza e fotografia e criar conexões com os profissionais e estudantes do meio.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.