RECLAMANDO DA CRISE?

crédito da imagem : bullybaby.com/bulldog_blasphemy_26.htm

Ela chegou, mas avisou, mandou recado, mensagens de texto, emails e isso foi amplamente noticiado nos telejornais. Mas a verdade é que para o profissional autônomo, a realidade é sempre mais dura e vem junto com traumas e um gosto amargo de frustração.

Tenho conversado com vários fotógrafos e a palavra crise parece a desculpa da vez. Todos os especialistas dizem que o momento é de apertar o cinto, mas isso não significa que você tem que parar tudo, entrar debaixo de uma mesa, se encolher e ficar lá esperando a tempestade passar.

Historicamente, nos momentos de crise, o ambiente desfavorável pode ser uma ótima opção de investimento, aprendizado, de identificar novas oportunidades para variar o seu serviço, criar novos produtos, melhorar o seu portfólio e conquistar novos clientes.

Enquanto está todo mundo desanimado, incluindo o seu concorrente, o momento é de empreendedorismo.

Você é fotógrafo, tem um equipamento que custou caro, já tem um nome e uma clientela, mas cadê o cliente? o volume de serviço? A grande maioria diz que é hora de baixar os preços, trabalhar mais por menos e isso procede, mas por um outro lado, é um momento para criar novos produtos, novos serviços e variar o seu portfólio, se reinventar.

Segundo o presidente do Sebrae em entrevista para o site GR News “O segmento do vestuário está entre as oportunidades que tendem crescer com a crise em 2015”. E você poderia fotografar isso né? Então fica o convite para sair debaixo da mesa, pegar o seu catálogo de contatos e tentar criar serviços para esse setor.

Bastidores do Encontro Fotográfico

Um fotógrafo tem que entender muito mais de fotografia para sobreviver e na prática, ele tem que ser ainda um pouco “psicólogo” dos clientes, que muitas vezes entendem pouco de moda e de imagem e priorizam somente vendas e fluxo de caixa.

Vanilson Coimbra lidera encontros fotográficos práticos em diversas capitais, mais informações e agenda pelo site: www.officeimshoot.com.br