Em nome de Jesus…?

Esse é um post sobre religião, então, como é um assunto meio chato de lidar, eu vou ser o mais breve possível.


Eu nasci e fui criado em um lar cristão, por pais cristãos. Pais que me educaram tanto segundo as normas éticas e morais que regem a sociedade quanto segundo a Bíblia.

Num determinado momento da minha vida, eu comecei a me questionar sobre as coisas que eles (e os demais cristãos) me diziam pra fazer (e não fazer) e fui pesquisar sobre aquilo na Bíblia. Li, estudei e me aprofundei no livro sagrado do Cristianismo, tendo, portanto, convicção do que eu vou falar a seguir.

Fica aqui, portanto, a minha “carta aberta” aos cristãos.

Por mais clichê que isso possa soar, não use a Bíblia como desculpa para o seu preconceito. Jesus nunca orientou NINGUÉM a perseguir NINGUÉM. Se você não concorda com o que aquela pessoa faz, ou se a Bíblia condena o que aquela pessoa faz, você não tem direito nenhum de a perseguir pelas escolhas ou pela natureza dela. Muito pelo contrário, um dos únicos dois mandamentos que Jesus deixou pra nós foi:

“[…] amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22:39, Marcos 12:31)

Ama ao teu próximo como a ti mesmo. Independente da cor da pele ou da orientação sexual, independente de qualquer coisa.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.