This story is unavailable.

Sim, encarar de frente é muito doloroso, mas não vejo outra forma de superar o que nos atormenta. Olhar nos olhos desse monstro que você nem reconhece, apesar de ser seu, nos machuca e dilacera. Aos poucos, porém a gente vai se regenerando. Espero que essas marcas que você carrega, Nat, te façam lembrar que você lutou com o monstro e saiu viva.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gael Rodrigues’s story.