Tudo o que você precisa saber sobre Capital Intelectual

Com título de produtos econômicos, a informação e o conhecimento passam a nortear boa parte do sucesso e crescimento das empresas. Essas matérias-primas juntamente com habilidades criativas, valores, motivação interna e satisfação dos clientes regem o mercado da era do conhecimento.
Nesse novo período gerido pela informação, a economia apoiada no conhecimento vincula-se a novas habilidades, assim como investimento em treinamentos, pesquisas, inovações e desenvolvimento, obrigando uma mudança nas organizações e no gerenciamento das mesmas.
O conhecimento e a informação vem se tornando o principal produto de uma empresa, por isso a inteligência no gerenciamento deles torna-se uma grande parte da sua missão econômica. A maior mudança de conceito encontrada para implementação dessa estratégia é mudar a visão de que pessoas se traduzem em receita e não em custo.
Para o melhor entendimento de uma gestão do conhecimento alinhada ao capital intelectual é necessário conhecer os três ativos que a compõem: Capitão Humano, Capital Estrutural e o Capital do Cliente.

Capital Humano

O capital humano é fabricado por meio de competência (habilidade e educação), atitude (condutas) e inovação das pessoas. Sendo esse último o que gera mais valor para uma empresa. Uma das principais estratégias de uma empresa que queira seguir por esse caminho é o de atrair, desenvolver e ter a capacidade de reter o capital humano conquistado, tornando-o uma vantagem competitiva no mercado.
Para o capital humano realmente ser efetivo ele precisa dos capitais irmãos, o capital estrutural e o capital do cliente.

Capital Estrutural

O capital estrutural dá-se por toda estrutura e processos que fazem a empresa funcionar, é basicamente o suporte para que o capital humano possa se desenvolver na empresa. Também contemplando tecnologias e dados utilizados e criados pela mesma.
É por meio desses ativos que a empresa consegue transformar o conhecimento interno em desempenho. Traduzindo em aumento do conhecimento coletivo, otimização do tempo, e melhor produtividade entre os profissionais.

Capital do Cliente

Esse capital é definido pelo relacionamento com clientes e sua capacidade em retê-los.
O investimento em clientes deve ser tratado da mesma forma que o investimento em capital humano e estrutural, pois é deles que provem a renda direta.
A inteligência para reter clientes deve ser estruturada a longo prazo, um cliente economicamente saudável é um potencial cliente vitalício. O ganha ganha é um aliado na retenção e na saúde financeira da clientela. Tornar-se indispensável pelo bom uso da informação e do conhecimento é um ótimo caminho para se tornar indispensável e manter o cliente sempre ao lado da empresa.

Na era da informação torna-se indispensável pensar no desenvolvimento humano na hora de fazer o planejamento estratégico. Capital intelectual desenvolvido é indicação de melhores ideias, melhores criações e melhores resultados.