deixe/force

olá, desgraçado.

essa é a unica maneira possível de começar essa conversa. você é isso e talvez sempre seja, rapaz. daqui da frente não dá para ter uma visão clara.

parece que aos 27 você está disposto a repetir os erros dos 17. aqui em paris estamos muito desapontados, mas não surpresos. nunca vou esquecer como você sempre quis se encaixar quando era adolescente. em qualquer grupo ou onde fosse mais bem quisto. tudo o que você fez para ser aceito e mesmo assim sabemos como terminou, né?

você nega mas eu tenho lá minhas dúvidas se a tua mudança radical na dieta não foi para ter algo em comum com aquele menino lá. a gente tem que ter muito cuidado com o que deseja. mesmo sabendo que estava fadado a ser um fardo, você insistiu. esse lance de competição ainda vai te matar. pior é que você só compete consigo mesmo. para ser um jogo, tem que existir um perdedor. e voce é ele. sempre.

10 anos depois era de se esperar que você estivesse mais maduro, centrado e com as emoções estabilizadas. ledo engano. essa desgraça sentimental é habilidosa. ela acha as rachaduras que tu deixou para que a luz entrasse e por ali se entranha. 17 de novo. você tem que parar de tentar ser o que os outros esperam. só dá para ser uma projeção enquanto não há luz natural. deixe que eles vejam a sua. lute para que ela nunca saia de perto de ti.

amigo, nem que você vomite toda a comida do mundo tu vai pesar 50 kg. você não quer escrever desse jeito ou confraternizar com essas pessoas só para chamar a atenção. não há uma maneira que faça você ter a pele branquinha e traços delicados. esse não é você. e mesmo que isso pudesse ser feito, valeria a pena? ele vale a pena? esses padrões que ele tem não são os seus. put yourself together.

segura as pontas por enquanto, as coisas vão melhorar. lembro dessa fase e sei que você tá desesperado pra criar laços só para saber se ainda consegue. você consegue, vai por mim. aguenta aí que daqui a pouco você vai. aberto e cheio de possibilidades. possibilidades, lembra como você ama isso? um dia de cada vez. “não pode é morango ganhar o bbb”, como disse nossa amada galetinha.

enquanto estava escrevendo isso lembrei daquela música do jair naves.

“por um impulso autodestrutivo
ou busca por aprovação
você apagou o seu brilho
e aniquilou o que havia de mais puro
no seu coração”

eu até queria não só citar o cara, mas não dá. essa canção é perfeita para a ocasião. deixe o medo morrer, deixe e sangue ferver. force o mundo a aceitar você.

com amor,
joão.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated João Pinheiro’s story.