Mais coisinhas miúdas que corroem o país

O estado de Pernambuco vive em recessão e confessa não ter como sair dela. Governador do estado e Prefeito do Recife , depois de praticamente quatro anos (o primeiro) e oito anos (o segundo) estão em campanha antecipada para 2018. Em vez de anunciarem plataformas para a conquista de novos mandatos, recorrem à imprensa para anunciar o fracasso antecipado de suas gestões. Argumentam que 2018 e 2019 serão anos perdidos por conta das dificuldades (ou impossibilidades) de conseguir empréstimos.

Ora, estado e prefeitura devem fazer investimentos em obras e serviços públicos com o dinheiro da arrecadação de tributos e não com empréstimos. Por aqui os recursos arrecadados com impostos — não é pouca coisa — tomam caminhos tortuosos, suspeitos, e se distanciam bastante do seu curso natural — os investimentos. Prestemos atenção e nos daremos conta da inutilidade desses dois senhores que há tanto tempo se divertem com a indiferença e paciência dos pernambucanos. Não cuidaram das obras inacabadas, deixadas pelos antecessores e se repetiram em promessas que não passaram de promessas. Resultado: o estado ficando mais pobre, se arrastando ao ritmo decaranguejo.Para ser verdadeiro, fiel à verdade, nossa gente deve reconhecer que os senhores Câmara e Geraldo Julio significam apenas peso para o estado. Deram causa a prejuízos incalculáveis, começando pelos milhões sumidos da arena Pernambuco e da Refinaria Abreu e Lima, projetos em que se envolveram como gestores e acabaram processados e investigados no Supremo Tribunal Federal.

Essa bela história que você acaba de digerir faz parte do elenco de episódios que corroem o país.