Rapidinhas (17–7)

NOS SUBTERRÂNEOS — O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, neste instante cuida de sua única prioridade: articulando para dar o seu golpezinho disfarçado. Temer, creiam, não está no cinema com dona Marcela e Michelzinho.

TUDO PODE SER — Temos candidata a vice-presidente da república quem nunca gerenciou sequer um quiosque de subúrbio — caso da Sra. Renata, viúva de Eduardo Campos. Essa charada tá publicada no Estado de SP de ontem.

MUITO DISTANTE — Mês passado, diz o governo, 63 mil conseguiram emprego. Calculemos, então, quantos faltam para 14 milhões.

FITA RUÍDA — O neto de Arraes, que amargou derrota para prefeito de Olinda, crítica o vencedor Lupervio por inatividade. Essa conversa o olindense escuta há bem mais de meio século.

TIPO EXPORTAÇÃO — Estamos arrasando nas exportações de matéria prima. E olhem que ainda não incluiram safadeza na pauta..

DÁ PRA MUDAR — A Globo Notícias, se decidisse contratar iniciantes para os lugares de Leilane Neubart e Cristiane Pelajo, economizaria em salários e homenagearia seus assinantes. Se não o fizer vai perder muitos deles.

HAJA DEFUNTOS — Preste atenção, doutor Câmara. Pare, pelo menos isto, de falar em pacto pela vida porque o senhor nos agride severamente todas as vezes em que toca nesse ponto. O senhor já leu o JC de hoje? Ou não tá nem aí?

LEALDADE IMPOSTA — Está é boa demais. Há poucos minutos Rodrigo Maia anunciou que sua mamãe lhe exige lealdade a Temer. Filhos nem sempre podem fieis e obedientes. Anotem.