Olimpíadas e Pokémon GO

- No segundo ano da pior recessão de todos os tempos, o governo sancionou aumento a funcionários públicos federais em até 41%;

- Embora tenha feito cortes cosméticos nas contas públicas, o governo cogitou o aumento e criação de novos impostos, que de maneira gradativa e silenciosa, já acontecem. O rombo nas contas públicas para 2016 é de R$ 186,99 bilhões;

- O orçamento das olimpíadas 2016 no RJ está acima do planejado e atingiu mais de R$ 39.000.000.000 (trinta e nove bilhões de reais);

- Somente na cerimônia de abertura foram gastos R$ 100 milhões para o que os organizadores chamam de “repertório analógico”, afirmam baixo orçamento e justificaram o resultado como “o espírito da gambiarra, importante aqui no Brasil”;

- Com a Lei 12.780, Dilma isentou da extorsão federal (impostos) todas empresas envolvidas na organização e realização olimpíadas do RJ 2016. Odebrecht, Globo Comunicações, Bradesco Saúde, Bradesco Seguros, Bradesco Previdência, Coca-Cola, Nike, Panasonic, Tam, Nissan fazem parte das quase 800 empresas que deixaram 4 bilhões de reais da conta da ‘festa’;

- Para realizar este insulto, as obras de infraestrutura para as olimpíadas retiraram mais de 20 mil pessoas de suas casas e locais de trabalho, coercivamente e sem planejamento. Isto mesmo 20.000 pessoas ficaram SEM CASA para esta “festa” acontecer;

- Todos os gastos das olimpíadas são pagos com o SEU dinheiro.

Não é necessário rejeitar tanto quanto eu esta instituição, que convencionou-se chamar de “estado”, e é responsável pelo controle da sua vida e da maior parte da riqueza que você produz. Mas é bom saber que enquanto você é o “chato” e o “diferente” por criticar Pokémon GO, esta instituição constituída, em sua maioria, de pessoas mal-intencionadas e que de fato lhe prejudicam, deveriam lhe incomodar muito mais que uma moda passageira criada pela iniciativa privada.

O jogo é oferecido gratuitamente a adultos e crianças, que em posse de smartphones comprados com o próprio dinheiro, querem apenas sair de casa, interagir com os outros e fugir por alguns momentos da realidade.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lucas Oleiro’s story.