5 ótimos documentários que vi recentemente

Um amigo me pediu dicas de documentários legais e resolvi usar este espaço para que todo mundo fique sabendo. A maioria deles está disponível no Netflix e Popcorn Time. De qualquer forma, são filmes que você acha facinho na internet.

Fed up

“Pela primeira vez na história teremos mais gente morrendo de obesidade do que de fome.”

Este é mais do que um filme para assistirmos passivamente. Nos encoraja a mudar os hábitos alimentícios (é só assistir até o final e ver o desafio), tira a culpa dos gordos — porque o argumento é que se trata de uma questão de boa alimentação -, mostra que açúcar vicia tanto e é tão perigoso quanto algumas drogas pesadas (como a heroína), expõe a indústria de alimentos processados dos EUA, que há mais de 30 anos se esquiva de regulamentação de propaganda e de quantidade de açúcares, além de fazer uma comparação genial entre alimentos com alto teor de açúcar e cigarro: “Nada vai acontecer se você consumir uma vez, mas se você consumir milhares você sentirá os problemas chegando”. Mas isso não é nem um terço do que fala esse doc. de 1h30. São vários e vários exemplos de uma realidade estadunidense, mas que valem pro mundo todo.

Trailer.

Tig

“Boa noite, eu tenho câncer. Como vocês estão?”

Tig Notaro é uma comediante de stand up estadunidense que ficou famosa no mundo todo ao começar um dos seus shows com essa frase e fazer seu número com base nisso. Além de ter descoberto que tem câncer de mama, ela perdeu a mãe e descobriu que não poderia engravidar nunca mais. Tudo de uma vez.

Em meio a tempos em que, de certa forma, ficamos na defensiva ao ouvir sobre “humor politicamente incorreto”, é bom ter exemplos de como ele também consegue libertar, quebrar tabus e fazer mais gente pensar sobre os problemas dos outros de forma justa.

Trailer.

Room 237

Prepare sua mente para as teorias que cercam o filme “O iluminado”, dirigido por Stanley Kubrick.

O documentário prova que o filme é muito mais do que um grande clássico do terror. Segundo os entrevistados, o filme faz referência não apenas a obra de Stephen King, mas a fatos como o holocausto e missões espaciais. Tem gente que viu o filme de trás pra frente, com imagens sobrepostas e de diversas outras maneiras. E todo mundo tem uma história pra contar.

Trailer.

Happy

Um documentário que mostra variações da felicidade.

Que, na verdade, faz com que a gente pense que existam “felicidades”. O filme mostra o que traz alegria a algumas pessoas de países e classes sociais diferentes e a busca eterna pela felicidade. Será que é algo que encontramos no fim da estrada ou em suas margens a todo momento?

Trailer.

What happened, Miss Simone?

Esse foi o documentário mais aguardado do Netflix.

Já assisti algumas vezes e não me canso de ver na tela a personalidade de Nina Simone em toda a sua vivacidade, com os seus altos e baixos. Esse é um filme para quem é fã de Nina, mas para todo mundo que tem interesse sobre a história dos movimentos civis e da música estadunideses. Acima de tudo, esse é um filme para quem gosta de histórias extraordinárias. Polêmico e vital, como a própria Nina.

Trailer.