Será que o seu cão sofre de Dermatite Atópica?

“Mas afinal o que é a dermatite atópica? E como posso saber se o meu cão tem isto? “— Provavelmente são as perguntas que estão a passar na tua cabeça neste momento. Nós já vamos explicar tudo:

A dermatite atópica canina (ou atopia canina) não é mais do que uma alergia de pele. O cão através da inspiração ou do pele entra em contacto com um alergénio — normalmente ácaros do pó ou pólen das plantas. O sistema imune então reage a estes agentes inócuos resultando numa reacção inflamatória. Ocorre assim a alergia na pele conhecida como dermatite atópica canina.

O principal sintoma é a inflamação da pele e comichão (prurido). Se o teu cão tem áreas de pele vermelhas e irritadas e não se para de coçar poderá ser atópico. Outros sinais também incluem otites, conjuntivites e infecções de pele recorrentes. Mas o prurido é o sinal cardinal.

E o que é que acontece quando o cão tem muita comichão? Coça-se, mordisca, coça-se e mordisca… E isto vai levar a que apareçam lesões secundárias. A pele fica arranhada e sem pelo. Pode sofrer alterações (como engrossamento) ou infecções. O prurido origina vários efeitos secundários que complicam o quadro clínico.

“Mas será que pode aparecer ao meu cão?” Estima-se que 10% dos cães sofra de dermatite atópica e normalmente os sintomas aparecem entre o 1º e 3º ano. Há uma predisposição genética para a doença, por isso muitas raças (ex. Pastor Alemão, Terriers, etc.) têm maior risco de ser atópicas.

A atopia canina piora com o passar do tempo e por isso deve ser diagnosticada. O diagnóstico passa pela exclusão de outras doenças com sinais semelhantes, como a sarna. O prurido é a principal suspeita na atopia.

A atopia canina não tem cura mas pode ser controlada! A única forma de reduzir a resposta alérgica é injectando o alergénio durante um longo período de tempo de forma a que o sistema imune reduza a sua resposta (imunoterapia). Os tratamentos mais comuns passam por reduzir o contacto com o alergénio (ex. aspirar a casa para minimizar o número de ácaros), dar banhos para acalmar e remover o alergénio da pele e administrar medicamentos que reduzam a inflamação e prurido na pele (ex. esteróides). Com várias combinações deste plano de tratamento adaptadas ao indivíduo consegue-se controlar os sintomas da atopia canina.

Mas não acaba aqui: a atopia canina requer acompanhamento veterinário. Depois de ter acertado com as doses, o que pode necessitar de visitas quinzenais à clínica, é necessário fazer pelo menos uma visita anual para avaliar o estado da atopia. Por isso, se suspeitas que o seu cão sofre de atopia por ter muito prurido, leva-o ao veterinário e faz o devido acompanhamento. Vais ver que é muito mais fácil viver com um cão que não passa 90% do tempo a coçar-se :)

Se gostaste deste artigo comenta e recomenda :)