Reflexões Lácteas

No Nosso Mundo, por Davi Lago

Toda manhã tem três caixas de leite na mesa do café:

O leite Ninho é da nossa filha Maria.

O leite desnatado é da minha esposa Natália.

O leite integral é meu.

Nós três estamos aprendendo:
Eu estou aprendendo ser pai.
Natália está aprendendo ser mãe.
Maria está aprendendo ser.

Ser aluno da vida é muito importante.

Todo mundo está aprendendo. Todo mundo está tomando leite.

E tomaremos leite até o fim, porque somos alunos até o fim.

Nós somos aprendizes eternos: paternos e maternos.

Precisamos aprender muita coisa. Precisamos tomar muito leite.

Então, nunca esqueça: estamos na Via Láctea.

Lembro quando peguei minha filha Maria no colo logo após cortarem o cordão umbilical: Eu olhei para o rostinho dela e toda sua delicadeza. Entre o turbilhão de pensamentos e emoções daquele instante, perguntei: “como ela vai mamar sendo tão frágil?”.

Era uma pergunta retórica. Não precisava de resposta.

Mas alguém disse: “Calma! Ela vai mamar colostro!”.

Tomei um susto. Eu pensava que ela iria mamar leite. Mas agora me disseram que era colostro.

Claro que logo me apresentaram ao colostro e tudo fez sentido. Aliás, fiquei assombrado ao perceber a perfeição do ciclo da vida. Quando o bebê é recém-nascido e sequer tem forças para mamar, o colostro está ai para ajudar! Basta uma pequena quantidade e o neném estará completamente bem-servido de todas as substâncias necessárias para seu desenvolvimento.

O leite vem da mãe, a vida vem da mãe, o futuro vem da mãe, o calor vem da mãe, a vitamina vem da mãe, o amor vem da mãe. Quando a mãe partilha o alimento vital ela está partilhando a própria vida.

E, no sentido pleno, as mães jamais deixam de nos amamentar. Elas sempre nos partilham vida.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.