Caverna

Eterna ou não.

Estou andando, o caminho continua o mesmo há muito tempo; é uma completa escuridão, escuto o rugido dos monstros famintos por minha carne e sedentos pelo meu sangue. Não sei o quão longe conseguirei alcançar, o vazio desse lugar parece tentar dominar minha alma, e aos poucos, sinto que estou morrendo.

Estou sozinho? É um mundo onde não consigo enxergar, sentir e sorrir. A eternidade disso me assusta, assemelha-se com a morte. Sempre correndo, fugindo, nunca os enfrentando. Monstros que nunca aparecem, mas têm a capacidade de me confundir, derrubar. Não posso lutar contra isso para sempre.

Ferido, sem sangue em meu corpo. Destruído, mas inteiro. Sinto uma presença, algo diferente, pacífico. Pensei que não existisse mais, ainda há esperança. Rastejo pelo escuro, não sei o que se encontra pela frente, algo mais que o nada.

Não consigo explicar exatamente como aconteceu. Estava cansado demais, com medo, quase tornando-me vazio. Eu encontrei a saída. Consigo refletir, sobre o que me fez entrar e o que me fez sair. Consigo ver. Um mundo instável, do qual não quero estar novamente.