Pequenos raios de luz… (reedit)

Passei um tempo meio atarefado e sem inspirações. Sabendo que vim aqui sozinho, e que deixei alguém erguer uma bandeira em meu coração. Para que eu sentisse o vento rasgando. Para que conseguisse andar entre as pedras. Para que pudesse flutuar acima da minha cama (como um corpo em um rio). E ouvir um único som na minha cabeça. O do seu sorriso, que me lembra pequenos raios de luz entrando no quarto. E é esse mesmo sorriso que desejo arrastar sob meus lençóis, para poder sentir cada pelo do seu corpo arrepiar com o som da minha voz dizendo sacanagens inspiradas na sua nuca. Saber que se quiser seremos únicos, e próximos… Muito, muito próximos.

Vamos aproveitar essa chance e aprender a nos sentir bem sendo loucos, desajeitados e imprudentes. Vamos flertar e rir, ser compreendidos. Agora quero brincar de encaracolar os cabelos e falar sobre cílios, beliscar bochechas e pintar lábios. Mexer os quadris e sorrir fingindo se comportar. Um ciclo de perfeição, saca? Dançar na areia da praia, sem nenhum álibi. Apenas sentindo a passagem pelo paraíso. Observando o céu cada vez mais alto. Eu incentivando você a libertar essa garotinha problemática. As vezes sinto que você também quer isso. Estamos sempre vibrando na mesma sintonia, nos poucos finais de semana em que nos vemos no ano.

Deixemos de ser anjos tristes que apenas caminham, e tenhamos histórias com pessoas que cheiram cola. Nosso cérebro é uma bomba que temos que excitar. Temos mentes andróginas que as vezes esquecem que amanha nosso nome pode estar numa pedra.