SENTIU O SOL BRILHAR

Enquanto o sol queimava em meio a matéria escura, seus pensamentos mais profundos diziam-lhe que as coisas não deviam ser da maneira que são. Sabia que sempre poderia gritar por algum daqueles nomes através da tempestade, eles eram suas conexões quânticas.
 Mas naquele momento seu coração ardia em conflitos profundos, de certa maneira, era como as coisas eram para ele. Desde o colégio tudo era muito complicado, difícil e enrolado. Mas ele nunca pegou pesado ou reagia a altura, sabia que um dia suas palavras o tirariam dali. Mas não fazia questão de se esforçar para que isso acontecesse de verdade.
 Seus lábios estavam se mexendo, estava murmurando coisas sem sentido. Quis ouvir o barulho do mar, ser uma atriz... Coisas assim... Imaginou toda sua existência como um segredo ruim, um conto desesperador.
 Sua cabeça ardia com aqueles pensamentos profundos, suas pernas continuavam movendo-se para caminhos opostos, o mundo seria seu lar novamente. Suas palavras haviam sido sopradas para longe. Naquela terça feira, sentiu o sol brilhar no espaço profundo e no final da rua.