Eu sou sujeito

Para tudo precisa-se de um belo texto
Algo que tenha contexto
Mas eu cansei de fingir que está tudo correto
Eu vou mandar um papo reto

Por favor, entenda
Senta e compreenda
Minha carne não é a mais barata
Eu não sou aquela comida guardada na dispensa

Não pode me ter a hora que quer
Meu corpo também tem regras
Não venha com o seu "deixa disso, vem pra cá mulher"

Eu só quero dizer que estou cansada de ser preterida
Eu nunca fui "a preferida"

Seja pela cor da minha pele
Meus traços, meu cabelo
E tem gente que diz
"Calma, olha o exagero"

Exagero?
Talvez não saiba que por causa disso às vezes não gosto de olhar no espelho

Ela é tipo negra exportação
Sabe sambar, tem um corpão
O rosto não importa, tira
É camarão

Mas você se esquece
Que dentro da preta também tem coração

Eu exijo respeito
Em todo aspecto
Se liga
Eu sou sujeito
Não objeto

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.