Em Caxias, Botafogo perde chances, mas segura bombardeio jaconero

Crédito — Foto: Thiago Calil/Agência Botafogo

Em jogo duro, disputado, com expulsões e oportunidades claras de gol dos dois lados, o Botafogo segurou o Juventude-RS, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul-RS, mantendo-se na 2ª posição do Grupo B e assegurando vantagem de 3 pontos do rival gaúcho, 5º colocado. A três jogos do término da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série-C, os clubes buscam carimbar vaga na fase mata-mata, o que possibilitará a disputa por um lugar na Série-B de 2017.

O resultado de 0 x 0 obtido pelo Tricolor na noite deste domingo, contextualmente, é bom como supracitado, mas pelo o que foi a partida talvez tenha ficado o gosto de poderia ter sido melhor. Pela primeira vez, depois de dois embates deixando sua marca, o atacante Tiago Marques passou em branco, não por falta de chances. Por duas ocasiões, esteve livre e próximo ao gol para concluir e correr para o abraço, entretanto, finalizou as duas sem a devida pontaria. Ademais, o recém-chegado volante Ramires estreou, na condição de titular, e teve participação discreta.

O Pantera volta a campo na segunda-feira (05), às 19h15, no estádio Santa Cruz, para enfrentar o líder Guarani-SP. Será o primeiro de dois jogos em casa seguidos nesta reta final de competição.

O JOGO

O primeiro tempo já dava parcialmente o tom da partida, a qual seria marcada por bastante intensidade dos jogadores e muita marcação. Apesar de jogar fora de casa, o Botafogo foi melhor nos 20 minutos iniciais e, logo aos 8 minutos, teve a melhor chance da etapa inaugural para abrir o marcador. Por trás da zaga, Tiago Marques recebeu dentro da área lindo lançamento de Zotti e livre de marcação chutou por cima.

Atuando à frente do seu torcedor e precisando da vitória, o Juventude aproveitou o leve recuo da marcação botafoguense (até então, Zotti e Tiago Marques incomodavam a saída de bola do mandante) para equilibrar a posse de bola e conseguir construir as jogadas. Aos 33, Roberson aproveitou bobeira de Daniel Borges, passou por Mancini e chutou rasteiro, o que fez Neneca trabalhar. Poucas chances surgiram nos primeiros 45 minutos.

No 2º tempo, o mandante tomou para si o controle da posse de bola e saiu com força ao campo de ataque. Logo aos 3 minutos, após bobeira da zaga, o Juventude retomou a bola na intermediária, Lucas cruzou e Pará, livre, chutou para fora. Como no fim da etapa inicial, após a subida das linhas do time gaúcho, a defesa a botafoguense ‘batia cabeça’ e enfrentava problemas na saída de bola.

Antes do lance, no primeiro minuto da volta do intervalo, Zotti caiu em cima do própria ombro após dividida de jogo e teve de ser substituído minutos mais tarde. Diogo Campos entrou.

A pressão do time da casa só aumentou. Aos 19 minutos, em nova bobeira da defesa, Lucas dominou na entrada da área e chutou em cima dos defensores. Aos 27, após cobrança de escanteio, Klaus cabeceou e a bola tomava o rumo do gol. Na tentativa de completar o lance, Romarinho desviou e a bola saiu da direção da meta. Aos 29, Neneca saiu bem do gol e impediu a finalização de Wallacer. Aos 43, depois de tentativas de chute e rebatidas, a bola sobrou limpara Hugo, que chutou forte com perigo.

Aos 47, veio a resposta botafoguense. Serginho desarmou na defesa e lançou Tiago Marques atrás do meio de campo. Livre pelos primeiros metros e incomodado por um defensor nos últimos, Tiago carregou a bola até próximo do gol e chutou para fora.

Antes do fim do jogo, os ânimos acirraram-se uma última vez. Daniel Borges estranhou-se com Ruan e ambos foram expulsos. Os jogadores do Juventude já vinham irritados pelo Botafogo brecar demais a partida com faltas e fazer ‘cera’.

FICHA TÉCNICA — JUVENTUDE/RS 0 X 0 BOTAFOGO

Cartões amarelos: Neguete, Lucas (Juventude-RS); Matheus Mancini e Zotti, Diogo Campos e Serginho (Botafogo).
Cartão vermelho: Ruan (Juventude-RS); Daniel Borges (Botafogo).

Juventude-RS: Elias; Neguete (Romarinho), Klaus, Ruan e Pará; Wanderson (Hugo), Bruninho, Lucas e Roberson; Wallacer e Caion (Caprini). Técnico: Antônio Carlos Zago.

Botafogo: Neneca; Daniel Borges, Filipe, Matheus Mancini e Diego Pituca; Rodrigo Thiesen, Ramires (Francesco), Derli e Zotti (Diogo Campos); Serginho e Tiago Marques (Isac). Técnico: Márcio Fernandes.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.