Em noite de estreias, Botafogo vence e retorna à vice-liderança

Mesmo ainda sem grande desenvoltura, Tiago Marques fez gol e deixou um bom cartão de visitas à torcida botafoguense (Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo)

Na chuvosa noite desta segunda-feira (15), no estádio Santa Cruz, o Botafogo venceu a desesperada Portuguesa, por 2–1, alcançando o 2º lugar do Grupo B, atrás apenas do Guarani, com boa pontuação a 5 jogos do fim da fase de grupos. A equipe adquiriu tranquilidade ao marcar logo cedo através do estreante Tiago Marques e, ao fim do 1º tempo, por meio de Zotti depois de vacilo da defesa da Lusa. No 2º tempo, em poucos minutos, os lusitanos diminuíram. Na metade final, por centímetros, não empataram em cabeçada.

O Pantera volta a campo no domingo (21), às 11h00, para enfrentar o pior time de toda a Série-C, o Guaratinguetá. A partida está marcada para ser disputada na cidade de Sertãozinho-SP.

O JOGO

Os visitantes lusitanos não começaram mal a partida, dividindo o controle da posse de bola e fazendo uma marcação levemente avançada. Sem criatividade entre seus meio campistas, a saída foi alçar a bola na área por cima e por baixo. Entretanto, todas as tentativas acabaram rebatidas pela defesa botafoguense. Até então estudando seu adversário, o Botafogo conseguiu seu gol.

Aos 13 minutos, Diogo Campos recebeu lançamento na ponta esquerda. Já dentro da área, chutou em cima do defensor, pegou o rebote e só ajeitou para a chegada do estreante Tiago Marques, que chutou forte ao fundo das redes do goleiro Pegorari.

A desvantagem no placar adicionou ainda mais nervosismo nos jogadores da equipe da Portuguesa já pressionados pela situação complicada na tabela de classificação. A Lusa respondeu apenas 10 minutos mais tarde. Bruno Mineiro ganhou de dois zagueiros na disputa pelo alto de cabeça e testou ao lado da meta de Neneca.

O 1–0 no placar deu grande tranquilidade aos comandados de Márcio Fernandes. Por um lado, o time não sofria ataques. Por outro, não armava jogadas criativas. À exceção de Diego Pituca, o qual conseguiu dois desarmes defensivos seguidos por duas puxadas consistentes de contra-ataque, o restante do meio de campo praticamente não atuou. Prova disso foi o total de 11 lançamentos dados pelos zagueiros ao campo ofensivo somente no 1º tempo.

O aproveitamento nas ligações diretas não foi satisfatório. Porém, numa das tentativas, o lance venceu a linha de impedimento do visitante, resultando no 2º gol botafoguense. Aos 43 minutos, Zotti recebeu livre belo lançamento de Filipe, avançou com a bola e chutou cruzado para estufar as redes.

Na volta para o 2º tempo, o treinador lusitano Jorginho fez logo duas modificações com o objetivo de avançar suas linhas e pressionar o Tricolor. Entraram João Henrique e Cesinha, saindo Daniel e Leonardo respectivamente.

Aos 2 minutos de partida, a Lusa diminuiria o placar. Dener cobrou forte falta da ponta esquerda, o quique da bola enganou Neneca e a bola morreu dentro do gol. A partir daí, o embate voltou a ganhar ânimo e ficou aberto. Para não perder no quesito movimentação, Márcio Fernandes promoveu outra estreia. Entrou o recém-chegado atacante Cléo Silva e saiu Isac. A substituição tornou Tiago Marques o centroavante.

O Pantera acumulou algumas boas escapadas, as quais terminaram em más conclusões. Já a Lusa, teve poucas oportunidades. A mais contundente, por pouco, não igualou o placar. Aos 33 minutos, Dener cobrou escanteio e Augusto testou firme. Neneca não alcançou, mas Daniel Borges, em cima da linha, cortou o lance. Não é possível afirmar, nem com ajuda do vídeo, se a bola ultrapassou a linha de gol.

Outro estreante, Cléo Silva mostrou bom comportamento; deve progredir bastante entrando em sintonia com o ataque (Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo)

FICHA TÉCNICA — BOTAFOGO 2 X 1 PORTUGUESA/SP

Público: 2.524 pagantes; renda: R$ 39.690,00.

Gols: Tiago Marques, aos 13’/1ºT e Zotti, aos 43’/1ºT (Botafogo); Dener, aos 02’/2ºT (Portuguesa).

Cartões amarelos: Filipe, Diego Pituca e Rodrigo Thiesen (Botafogo); Douglas, Nunes e Mateus (Portuguesa).

BOTAFOGO: Neneca; Daniel Borges, Filipe, Matheus Mancini e Augusto Ramos; Rodrigo Thiesen, Diego Pituca e Zotti (Helton Luiz); Tiago Marques, Isac (Cléo Silva) e Diogo Campos (Serginho). Técnico: Márcio Fernandes.

PORTUGUESA: Pegorari; Douglas, Augusto, Mateus e Dener; Alê, Ronaldo, Leonardo (Cesinha) e Michel Pires; Bruno Mineiro (Nunes) e Daniel (João Henrique). Técnico: Jorginho.