EVOLUÇÃO TÁTICA! Sem sustos, Tricolor bate o Boa e assume a vice-liderança do grupo

Zotti, ao lado de Serginho e Danilo Bueno, comemora seu primeiro gol com a camisa do Botafogo — Crédito: Thiago Calil/Agência Botafogo

Na tarde deste domingo (05), no estádio Santa Cruz, o Botafogo fez valer sua força dentro de casa, conquistando a 2ª vitória em 2 jogos em seu domínio. O adversário da vez foi o Boa Esporte/MG. O clube mineiro até incomodou nos primeiros minutos, porém não foi páreo contra o Tricolor do meia Zotti, melhor jogador em campo. A vitória tranquila, por 2–0, poderia ter sido maior, porém bastou para colocar o time de Márcio Fernandes na 2ª colocação do Grupo B com 6 pontos ganhos. A firmação no G-4 pode-se dar na próxima rodada no domingo (12), às 11h00, em São Paulo, contra a Portuguesa.

O JOGO E A EVOLUÇÃO TÁTICA DO PANTERA

Melhor posicionado em campo no início o Boa Esporte/MG conseguia controlar a posse de bola e assustar em escapadas rápidas originadas de precisas enfiadas entre os zagueiros. A marcação desencaixada do Botafogo não rendia desarmes. Aos poucos, porém, os botafoguenses encontraram-se taticamente e surgiram as roubadas de bola.

Aos 14 minutos, Daniel Borges tomou a bola de Ricardinho e engatou um contra-ataque veloz puxado por Serginho que culminou em falta próxima da área. Danilo Bueno fez bem a cobrança, obrigando o goleiro Daniel a fazer boa defesa. Era a primeira boa conclusão do jogo. Logo depois, D. Bueno conseguiu desarme e lançou Serginho na ponta esquerda, o qual gingou para cima do defensor e chutou para fora perigosamente.

Aos 19 minutos, o Boa assustou com Daniel Cruz, fazendo Neneca realizar bela defesa, sua única trabalhosa na partida. Apesar do lance do time mineiro, o mandante do jogo havia virado. Mesmo sem grande aproveitamento nos passes, os erros do adversário facilitavam ao Tricolor. Aos 25 minutos, após boa troca de passes, Samuel Santos recebeu na direita e cruzou, o defensor Émerson tentou cortar e mandou a bola ao próprio gol. Gol contra!

Descrição do lance: passe de média distância de Daniel Borges a Zotti; Zotti, de primeira, a Danilo Bueno chegando de trás; D. Bueno acelera a jogada tocando a Alemão em aproximação e passando a receber; Danilo avança, chama a marcação e abre a Samuel Santos livre; Samuel cruza e o zagueiro Émerson corta contra a própria meta.

Antes do intervalo, o Pantera ainda teve tempo de marcar mais um. Aos 47 minutos, a desorganizada defesa do Boa saiu jogando errado, Diego Pituca retomou a posse e enfiou Samuel Santos livre de marcação. Samuel carregou em velocidade e só ajeitou já dentro da área para Zotti também livre fazer seu primeiro gol com o manto tricolor.

No 2º tempo, tranquilizado pela vantagem de 2 a 0 o Tricolor ainda conseguiu manter por algum tempo o volume de jogo do fim da etapa inicial. Pelo menos mais 3 chances reais de gol surgiram possibilitadas por boas trocas de passes e grandes espaços e contradições na defesa adversária. Sem poder de reação, o Boa Esporte assistia ao Botafogo jogar. Então, Márcio Fernandes sentiu-se à vontade para promover duas estreias: o volante Derli e o centroavante Isac (no lugar de Alemão, o qual saiu irritado). O ritmo do confronto caiu um pouco e o apito final do árbitro foi questão de tempo. Vitória tranquila do Fogão.

Das considerações táticas: 1. Zotti ora como meia armador (time com a bola) ora como segundo atacante (time sem a bola) foi o distribuidor de bolas do time, estimulando a movimentação dos companheiros; 2. Danilo Bueno, 2º maior roubador de bolas do Bota no jogo com 3 desarmes, jogou efetivamente como meia pela primeira vez na competição, ajudando a armar e marcar do meio para frente e não de atrás da linha média como anteriormente; 3. As laterais do campo foram bastante utilizadas. Samuel Santos e Serginho foram solidários na marcação. Diego Pituca subiu pouco ao ataque, mas foi determinante para o 2º gol. Daniel Borges teve grande participação, anotando 2 finalizações certas (2 chances claras de gol perdidas) e 4 desarmes, o maior ‘ladrão’ do Botafogo.

FICHA TÉCNICA — BOTAFOGO 2 X 0 BOA ESPORTE/MG

Gols: Emerson (contra), aos 25’/1ºT e Zotti, aos 46’/1ºT (Botafogo).

Cartões amarelos: Caio Ruan, Daniel Borges e Zotti (Botafogo); Léo Baiano e Escobar (Boa Esporte-MG).

Público: 3.198 pagantes; renda: R$ 49.000,00.

BOTAFOGO — Neneca; Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Diego Pituca; Rodrigo Thiesen, Danilo Bueno e Zotti (Derli); Samuel Santos, Alemão (Isac) e Serginho (Diogo Campos). Técnico: Márcio Fernandes.

BOA ESPORTE-MG — Daniel Luiz; Leonardo, Emerson, Edson Borges e Tiago Baiano (Carlos Renato); Léo Baiano (Sillas), Fellipe Mateus, Jean Henrique e Anderson Paraíba (Escobar); Ricardinho e Daniel Cruz. Técnico: Julinho Camargo.