Brave new id.

Tem um episódio em sex and the city no qual Carrie reluta em trocar o prefixo do cell. Quando ela chegou a Manhattan foi naquele número que ela se encontrou, mas a assistente diz que o prefixo não existe mais e no fim do ep depois de mais um draminha que amávamos assistir Carrie troca de número e abraça sua nova realidade, quase uma nova persona. Pois bem, não tô em Manhattan, mas sim no Rio, meu prefixo continua o 21, porém a situação é mais ou menos a mesma.

A partir de hoje não sou mais uma garota Felix Pacheco e virei Detran. Sei lá a sensação é estranha. Sou do tempo que identidade era coisa de adulto. Ter um documento para chamar de seu sem ser a certidão de nascimento era meio caminho andado para uma vida cheia de promessas, responsabilidades, fazer o que bem entendesse sem ter que dar satisfação. Ok ledo engano, mas enfim eram outros tempos. Precisei tirar a minha bem antes de ser adulta. Tinha uns 13 e guardei ela comigo por todo esse tempo, até que o funcionário na federal informou que precisava de uma identidade nova para renovar o passaporte. Que kaô!

Sou muito eu naquela foto! Sem todos esses cabelos brancos que surgiram na minha cabeça transformando-me em cotonete ambulante, — tá exagerei, mas são tantos surgindo a cada dia que em breve estarei assim mesmo, sem as rugas, com muito mais sardas e cansaço, desilusões, mas sou eu naquela foto. Meio Carrie meio nova Paloma, perdida sem meu prefixo quer dizer sem meu IFP e agora Detran.

Tá lá num único documento identidade e CPF juntinhos, de mãos dadas, as pessoas hoje já nascem com CPF sabiam. Cara que louco! Você existe oficialmente antes de encontrar o seu lugar nessa vida. Isso é demais e não num jeito legal. Contrariando as estatísticas ao meu redor, carros nunca me encheram os olhos, então não sei dirigir, nunca fui Detran nesse sentido. Veja bem Detran nada tenho contra você. Nem te conheço. O passaporte tá aqui imaculado, validade 10 anos. Estarei na casa dos enta quando renovar de novo. Cara que louco! Será que bateu uma crise existencial? Minha primeira? Se não soube reconhecer até agora é porque tive outras sem saber, mas como saber? Todo esse draminha pra mim é jumbo, para os outros nada. Mas sei lá. Bateu forte essa troca de departamentos, de nomenclatura. Adios garota IFP que me dava tanto orgulho. Holla girl Detran desconhecida. Bora desbravar o mundo é ver qualé da parada.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.